Polí­tica

Foto: Elias Oliveira

A Secretaria Estadual da Educação realiza de 21 a 25 de fevereiro, em Palmas, a Formação Inicial do programa Brasil Alfabetizado. A abertura oficial do evento aconteceu hoje, 21, na Escola de Governo, com a participação do secretário Danilo de Melo Souza, da subsecretária de Educação Básica, Marciane Machado, da diretora de Ensino de Palmas, Maria Marlene Teixeira Porto e a coordenadora de Ensino de Jovens e Adultos, Claudenice Passos Palaci.

Durante toda a semana 69 voluntários, entre alfabetizadores e coordenadores de vários municípios participam do evento cujo objetivo é discutir as diretrizes do Brasil Alfabetizado e as ações para o presente ano letivo. Serão ministradas oficinas de leitura, matemática e confecção de jogos visando diversificar as aulas e tornando o conteúdo mais atrativo para os alunos.

Para a coordenadora de Ensino de Jovens e Adultos, Claudenice Passos Palaci, a Formação Inicial é de extrema importância para o desenvolvimento do programa visto que a maioria dos alfabetizadores não tem formação acadêmica ou prática na docência.“Apesar de estarem cheios de boa vontade, isso não é o suficiente para que eles entrem em sala de aula e consigam atingir o resultado proposto. A Formação Inicial vai oferecer aos alfabetizadores o embasamento pedagógico e teórico para que eles não só ensinem a ler e escrever, mas que possam despertar nos alfabetizandos o interesse em dar continuidade ao processo de escolarização”, esclarece.

O Brasil Alfabetizado é um programa do governo federal e foi implantado no Tocantins em 2003.A finalidade é elevar a escolaridade de jovens com 15 anos ou mais, adultos e idosos que não frequentaram ou não tiveram acesso à escola, na idade adequada. As aulas têm duração de oito meses e acontecem em igrejas, assentamentos, associações de moradores e outros locais.

Em 2010 foram atendidas 10 mil pessoas em 109 cidades do Tocantins. Para este ano a meta é que pelo menos 11 mil pessoas sejam alfabetizadas através do programa que passa a ser desenvolvido nos 139 municípios do estado.

Alfabetizadores

Os alfabetizadores são voluntários que possuem no mínimo o ensino médio e pelo trabalho prestado recebem bolsa-auxílio de R0,00, por turma, podendo chegar até R0,00, mesmo valor recebido pelos coordenadores do programa.

Artenízia Andrade, que será alfabetizadora pela primeira vez acredita que a experiência será gratificante. Ela será responsável por apresentar o mundo das letras e números para adultos não alfabetizados do município de Lagoa do Tocantins, localizada a 121 km de Palmas. “Tenho muita vontade de ser professora, quero fazer uma faculdade, mas antes que isso aconteça dar aulas para as pessoas que não sabem nem assinar o próprio nome já é um grande começo, me sinto honrada em poder ajudar essas pessoas”, relata. As aulas do Brasil Alfabetizado estão previstas para começarem na primeira quinzena do mês de março.

Fonte: Assessoria de Imprensa Seduc