Educação

Foto: Divulgação

Com o tema de doação de sangue e cadastro de medula óssea, o Projeto recebeu ontem (23) e receberá novamente na sexta-feira (25), das 8h às 18h, o Hemocentro de Palmas para realizar o cadastro de medula óssea. A abertura oficial acontece amanhã (24), às 19h, no complexo esportivo do CEULP/ULBRA, com a presença do Exército e do Corpo de Bombeiro. Na sexta, as atividades começam às 9h, nas instalações da instituição.

O projeto também conta com a participação da Organização Jaime Câmara, Exército, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Detran, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Segurança, Trânsito e Esporte, e da Agrovale.

Projeto

O Akádemo visa recepcionar os calouros de forma a incentivar atividades que envolvam todos os acadêmicos do CEULP e a sociedade, sempre em prol de uma ação social. Tendo como objetivo despertar a responsabilidade, solidariedade, exercitar a cidadania e mostrar a todos os envolvidos seus deveres sociais.

Em suas dez edições, o projeto trabalhou questões educacionais, ambientais e de saúde, desenvolvendo ações junto à Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE, Cooperativa de reciclagem de lixo – COOPREC, e ações voltadas para campanha de vacinação e entrega de cestas básicas no Jardim Taquari, em Palmas.

Foram realizadas também inúmeras provas envolvendo os parceiros, executadas no Parque Cesamar, na Feira do Bosque, no clube e no complexo esportivo do CEULP como em outras dependências da universidade.

Cadastro de Medula Óssea

Para realizar o cadastro é preciso ter entre 18 e 55 anos; não ter tido hepatite C, câncer ou alguma doença congênita; ser soro-positivo; ser diabético e fazer uso de insulina. Será coletado apenas 5 ml de sangue que irá para o cadastro nacional e servirá para identificar seu tipo de medula.

A probabilidade de se achar um doador compatível é de 25% a 30% entre irmãos de filhos dos mesmos pais, de um a dez mil entre doadores e pacientes da mesma região, de um a cem mil entre doadores e pacientes do mesmo país, e de um em um milhão entre doares e pacientes do mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Ceulp/Ulbra