Polí­tica

Foto: Ises Oliveira

Em entrevista logo após o encerramento da sessão da manhã desta quinta-feira, 24, deputados de governo e oposição comentaram sobre o pedido de auditoria feito ao Tribunal de Contas do Estado, nas gestões de Carlos Gaguim (PMDB) e Junior Coimbra (PMDB) da Assembleia Legislativa.

O deputado José Augusto Pugliese (PMDB), membro da bancada de oposição, frisou que qualquer tipo de auditoria em entidades da administração pública é ação natural. No entanto, o deputado comentou que o problema é uma questão temporal. “O problema é um lapso temporal. Por que não faz uma auditoria das contas dos últimos 10 anos?”, questionou.

Pugliese ainda informou que, caso haja uma causa específica para o pedido das análises nas contas da AL nas gestões anteriores, essas motivações devem ser colocadas às claras para o plenário. “Se tem uma causa específica, é preciso que seja esclarecido”, completou.

Já o deputado Freire Junior (PSDB) informou que pretende sugerir ao presidente da Casa, deputado Raimundo Moreira (PSDB) para que estenda o pedido de auditoria no TCE. O deputado frisou que pretende pedir para que o presidente peça auditoria, inclusive nas contas de sua primeira gestão, entre 1997 e 1998.

Usando do dito popular, freira frisou que “quem não deve, não teme”. “Eu tenho certeza de que o nosso presidente não tem o que temer. Se houver alguma coisa errada, ele vai ter que arcar”, cooncluiu.