Esporte

Participar de uma feira nacional e de quebra conhecer a cidade mais populosa do Brasil tem mexido com a cabeça de atuais e ex-alunos do Colégio Estadual Dom Alano Marie Du Noday, em Palmas. O motivo de tanta euforia é a classificação de dois projetos desenvolvidos na escola em 2010 para a final da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace).

Os projetos “Horta na Escola” e “O Povo na TV” vão disputar o prêmio com mais 30 concorrentes da região norte do país, nos dias 21 a 26 de março em São Paulo.

“Horta na Escola” envolveu os alunos de maneira multidisciplinar, no plantio e cultivo de uma horta nas dependências da escola. Os estudantes realizaram também pesquisas sobre a origem dos alimentos, quais os mais consumidos nas diversas regiões do país e técnicas utilizadas nas lavouras. Concorrem ao prêmio da Febrace os alunos Allis Karolayne Alves, Leontino Labre dos Santos e Mateus Goveia Justino, do ensino fundamental maior, orientados pelos professores, Paulo Roberto Barba e Fabiana Mota.

Língua portuguesa foi a matéria trabalhada no projeto “Povo na TV” dos ex-alunos do 3º ano de Ensino Médio, Caio Antonio Cirqueira, Valesca Ferreira Gravina e Jessica Monique Barreto que foram orientados pelo professor Jair Severino e pela diretora Monique Wermuth. Os então alunos produziram um vídeo sobre o mau uso da língua portuguesa na televisão e sugeriram a criação de um programa de computador, uma espécie de corretor ortográfico avançado, com o intuito de inibir os erros de grafia e concordância nos textos.

Na final

A expectativa dos finalistas é grande. “É muito emocionante saber que nosso objetivo foi alcançado e agora temos a chance de mostrar para o Brasil inteiro a importância de resgatar o valor da nossa língua, de usá-la corretamente”, conta a ex-aluna Valesca Ferreira, que concorre pelo projeto “Povo na TV”. Segundo ela, concorrer ao prêmio significa uma oportunidade de adquirir novos conhecimentos: “Além de ser ótimo para o meu currículo, participando da feira vou aprender novas coisas e trocar experiências com outros concorrentes. Estou muito ansiosa!”, descreve.

Esta é primeira vez que a escola participa da Febrace. Para a diretora da escola e coorientadora de um dos projetos, Monique Wermuth, este é o reconhecimento do trabalho realizado pela unidade escolar. “Nós primamos para que o aluno não se contente só em aprender os conteúdos lecionados em sala de aula. A experiência no campo da pesquisa desperta neles o interesse pelo desenvolvimento de projetos e proporciona oportunidades como essa de participar de um evento nacional, que muito nos honra”, relata.

A Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista e uma grande mostra de projetos. A feira que acontece desde 2003 é promovida e organizada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A Febrace desenvolve um importante papel social incentivando a criatividade e a reflexão em estudantes da educação básica, através do desenvolvimento de projetos com fundamento científico, nas diferentes áreas das ciências e engenharia.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Seduc