Polí­tica

O engessamento do governo por causa da falta de aprovação do orçamento deste ano pela Assembleia Legislativa foi um dos pontos apontados por alguns prefeitos tocantinenses ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 28.

Para alguns gestores, o Estado não tem como ajudar os municípios sem a liberação do orçamento. Um dos primeiros a relatar o impasse foi o prefeito peemedebista de Miranorte, Abrãao Costa.

Segundo ele, não há ainda como exigir do governo assistência e contrapartidas bem como convênios sem que o orçamento esteja aprovado. “Porque aí nós vamos procurar o governo e ele não tem resposta para nos dar. Enquanto a Assembleia não liberar não tem como o governo nos dizer como será a ajuda”, frisou.

A prefeita de Taguatinga, Zeila Ribeiro (DEM) também disse que aguarda a aprovação do orçamento para procurar o governo. “Eu estou aguardando o governo nos chamar para conversar, até agora ainda não fomos conversar”, disse.

Municípios prejudicados

O prefeito de Formoso do Araguaia, Pedro Rezende (PTB) disse que os municípios não estão podendo melhorar as estradas vincinais em razão da falta de condições do governo. “ Com certeza a falta de orçamento prejudica porque o Dertins ainda não tem como mandar as máquinas para nos ajudar”, disse.

Outra questão que está ainda pendente por causa do engessamento do orçamento é a saúde. “O governo tem boa intenção mas não tem como fazer parceria ainda”, disse.

Bom relacionamento

Membro da diretoria da Associação Tocantinense de municípios, Joaquim do Posto (PV ) de Natividade disse o clima entre os colegas prefeitos é de boas expectativas com relação ao governo. “Estamos certos e imbuídos no propósito de fortalecer o municipalismo junto ao governo. A campanha já passou e o governo sabe que as prefeituras não podem parar”, disse.

Os prefeitos estão reunidos na manhã de hoje para o aniversário de 22 anos da entidade.