Saúde

Foto: Marcos Vinícius Reuniao Comite Municipal de Combate a Dengue Reuniao Comite Municipal de Combate a Dengue

Acontece nesta quarta-feira, dia 02 de março, a reunião do Comitê Municipal de Mobilização Social de Combate à Dengue, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), à quadra 103 Norte, às 14 horas.

Durante a reunião, serão apresentados relatórios das ações de combate e prevenção à dengue desenvolvidas setorialmente para a construção do panorama de ações contra a dengue na Capital. As reuniões do Comitê acontecem mensalmente e são dirigidas pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus).

Compromisso coletivo

Na última reunião, os debates entre técnicos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Gerência de Vigilância Epidemiológica (GVE) e parceiros revelaram a necessidade de maior envolvimento do setor comercial na aplicação de medidas de prevenção à dengue. “Estamos abertos para novas parcerias com empresários, entidades representantes de classes profissionais, organizaçõesnão-governamentais (ONG's), igrejas, instituições de ensino superior e associações de moradores”, explica Samuel Bonilha, secretário da Saúde de Palmas.

Panorama da Dengue

O último relatório apresentado ao Comitê Municipal pela equipe de analistas em saúde da Semus trouxe bons indicadores, como a superação da meta de inspeções prediais para Palmas, que alcançou 96,9% no ano de 2010. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de 90%. A superação da meta de inspeções a edificações e terrenos baldios representa o trabalho de cerca de 130 profissionais dentre biólogos, analistas em saúde e agentes de controle de endemias.

O relatório também indica o percentual de criadouros do transmissor da dengue encontrados durante 2010. Ao todo 76,81% das amostras positivas foram encontradas em residências. Dados do CCZ apontam ainda que apenas 6,64% dos imóveis sem um responsável apresentaram criadouros positivos. O que reforça o alerta de que o morador é o maior responsável por evitar a proliferação do mosquito da dengue e, assim, impedir a reprodução do Aedes Aegypt.

“Muitos acreditam que os criadouros estão situados apenas nos terrenos sem edificação, mas nossos relatórios demonstram que os imóveis com responsáveis são mais displicentes nos cuidados preventivos”, explica Cláudio Gilberto Garcia, diretor de Vigilância em Saúde da Semus.

Parceiros

Além da Secretaria da Saúde de Palmas (Semus), dos técnicos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Gerência de Vigilância Epidemiológica (GVE) e Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS), participam do Comitê representantes da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), Secretaria Municipal de Educação (Semed), do Serviço Social da Indústria (Sesi), ACIPA, Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), Associações de Moradores, Guarda Metropolitana, Conselho Municipal de Saúde (CMS), dentre outros.

Fonte: Assessoria de Imprensa Semus