Polí­cia

A discussão em torno do Projeto de Lei que regulamenta a assistência religiosa aos policiais e bombeiros militares no Tocantins foi uma das principais pautas abordadas durante reunião realizada no último mês de fevereiro, na sede do QCG – Quartel do Comando Geral, em Palmas, entre militares, membros da Capelania Militar, o Pe. Adão Pereira Mota, com o Chefe do Estado Maior da PMTO, coronel Jefferson Fernandes Gadelha.

O projeto existe desde 2004 e de acordo com o Pe. Adão, o coronel Gadelha mostrou-se receptivo à ideia, demonstrando interesse para que a matéria seja apresentada ao governador Siqueira Campos, para posterior análise da Assembleia Legislativa. “Minha impressão sobre a reunião foi muito positiva, principalmente no sentido de o coronel Gadelha estar aberto e empenhado para fazer com que esse projeto de concretize”, disse Pe. Adão, responsável pela Capelania Militar no Estado desde 1997.

A Capelania Militar da PM/BM, de acordo com a proposta do PL, seria “constituída de capelães militares, selecionados entre sacerdotes, pastores ou ministros, integrantes de denominações religiosas católica e evangélica”.

A reunião serviu também para que fosse apresentado ao Chefe do Estado Maior o CONARC - Conselho de Assistência Religiosa da Capelania Católica da PMTO, formado por 12 casais – 7 casais milicianos e 5 da comunidade civil. Segundo Pe. Adão, essa diversidade na formação do Conselho visa a integração entre militares e civis. Ações realizadas pela Capelania, bem como projetos futuros também foram apresentados durante o encontro.

Os presentes discutiram ainda sobre a realização da Páscoa Militar. Eles defenderam a parceria da Polícia Militar com as demais forças de segurança pública de Palmas. Antes, essas forças eram apenas convidadas para a celebração, mas o que se propôs é que estas passem a ser parceiras em toda a sua realização.

Outro ponto abordado foi a unificação das Capelanias no Tocantins, existentes hoje, além da Capital, em Araguaina e Gurupi. O propósito é que todas elas se unam em torno de um único planejamento, dando, segundo o Pe. Adão, unidade ao discurso e às ações. Essa união entre as capelanias teria a coordenação da de Palmas.

Ações

Dentre as ações da Capelania estão: assistência religiosa feita mensalmente com um trabalho de evangelização com as famílias dos militares, para ajudar as mesmas do ponto de vista espiritual e social; assistência religiosa às unidades da PM fora de Palmas, de acordo com cronograma anual de visitas pré-definido; atendimento individualizado nas unidades e também nas residências dos militares; encontros de jovens e adolescentes; e Semana de Evangelização, mensalmente.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Polícia Militar