Estado

Segundo a Associação Tocantinense dos Advogados (ATA), visando preservar o direito individual de livre e pleno exercício da advocacia, foi protocolado ontem, segunda-feira, 21, na sede OAB-TO, ofício requerendo o acompanhamento da instituição no andamento dos Inquéritos nºs 01/11 e 68/10 que tramitam na Promotoria de Gurupi (TO) e a designação de representante da entidade para assistir a advogada e ex-procuradora geral da Unirg durante todo o transcorrer processual.

Os inquéritos apuram denúncias de irregularidades na contratação de serviços advocatícios pela Unirg e envolveriam diretores da OAB-TO.

Segundo o presidente da ATA, Gedeon Pitaluga Junior, as medidas requeridas são necessárias e emergenciais, “visto que a ex-procuradora, embora figure como denunciante da suposta fraude na Unirg, é advogada inscrita na seccional e teria sido vítima de falsificação de assinatura no exercício profissional. Indiscutivelmente é dever da OAB-TO garantir e preservar o pleno e livre exercício da advocacia à todos os advogados devidamente inscritos,sendo denunciante ou não. Além disso, já nos reunimos com o presidente da OAB-TO e ele concordou prontamente com os argumentos e nos garantiu que vai acatar o nosso requerimento", disse Pitaluga

A ATA ainda destaca que é imprescindível a apuração das denúncias, mas, associada a preservação do exercício da advocacia e da própria OAB, como referência institucional de toda uma classe de advogados.

Fonte: Assessoria de Imprensa ATA