Palmas

Foto: Divulgação

Palmas sofre com a quantidade de buracos que atormentam a vida de motoristas e pedestres. Mas este drama ganha contornos dramáticos para moradores da região Norte da capital. Um levantamento realizado pelo vereador Fernando Rezende (DEM) na primeira quinzena de março revela que o sentimento de insegurança, descaso do poder público e falta de áreas de lazer são as principais reclamações da comunidade. “A situação é crítica e a prefeitura tem um grande desafio pela frente. Esta pesquisa nos trouxe uma realidade triste e perigosa. São diversos relatos de crimes e consumo de drogas nas Arnos. Nosso objetivo é transformar os dados coletados em soluções práticas à prefeitura”, disse Fernando Rezende.

O levantamento foi realizado nas quadras 105 N, 303 N, 305 N, 307 N, 403 N, 405 N, 407 N, 409 N, 503 N, 603 N, 605 N, 607 N, na região conhecida como Vila União. Em todas as quadras visitadas existem alamedas sem iluminação pública.Os buracos são a principal reclamação da comunidade. A situação é crítica em diversos pontos, como a alameda 8 da quadra 405 norte, onde um tronco de árvore cobre um imenso buraco e quase interdita a via pública. “Já tivemos acidentes sérios aqui na quadra. Tem casos em que crianças caíram nos buracos e ficaram seriamente machucados”, diz Sr. Aluízio, líder comunitário.

Segurança

Um dos maiores problemas sociais que o levantamento encontrou foi o alto consumo de drogas na região. A falta de segurança é um sentimento comum relatado pelos moradores. “Aqui tem bares onde acontece a venda de drogas durante a noite. Tem pontos de venda e consumo de drogas ao ar livre. Falta policiamento e vivemos com medo dos bandidos”, disse uma moradora que não quis revelar o nome.

Uma creche inacabada na quadra 403 Norte é ponto de consumo de drogas e serve como moradia para viciados. “À noite a creche fica lotada. Tem gente fumando crack o tempo todo. Eles dormem, comem e passam a noite se drogando no local”, disse a moradora. A comunidade solicita que a prefeitura conclua a obra, tanto para atender a demanda de creches da região, quanto para impedir que o local continue sendo usado para o consumo e venda de drogas.

Ainda na 403 Norte, uma casa abandonada é usada como ponto de venda e consumo de drogas. A comunidade solicita que o local seja transformado em um posto policial ou que a prefeitura autorize a demolição. “Estamos reunindo a documentação, provas e requerimentos para solicitarmos o apoio das polícias militar, civil e metropolitana. Vamos solicitar o apoio dos Conselhos Tutelares, Ministério Público e da Prefeitura de Palmas. A situação não pode continuar como está”, relata o vereador Rezende.

Esporte e Lazer

Muitos problemas relacionados ao uso de entorpecentes, vandalismo e violência poderiam ser minimizados com a realização de atividades educativas e esportivas. Porém, duas das principais áreas destinadas ao lazer e à prática esportiva não estão em condições de receber a comunidade. A primeira delas nem saiu do papel, que é a praça da quadra 407 Norte, a antiga Arno 43. Segundo os moradores a construção da praça já foi aprovada no Orçamento Participativo do Município, mas ainda não foram iniciadas as obras.

Já a escolinha de futebol Nilton Santos, também localizada 407 Norte, está em completo abandono. O professor que ministrava as aulas foi demitido e o mato tomou conta da estrutura. A sede da escolinha está destruída por vândalos e usuários de drogas e as atividades foram suspensas. “Recebemos reclamações da comunidade que pede a reativação da escolinha. Muitos jovens poderiam ter outro futuro fora do mundo das drogas com os treinamentos no campo. Acredito que em breve vamos realizar uma limpeza no local para, pelo menos, retomar as atividades. Vou buscar junto à prefeitura e ao Estado apoio para que a comunidade volte a contar com a escolinha que é tão importante para a região”, disse o vereador Fernando Rezende.

O vereador informou que realiza mesmo levantamento em diversas regiões da capital e em breve divulgará os resultados da região sul e central

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Fernando Rezende

Por: Redação

Tags: 403 Norte, Fernando Rezende, Segurança