Polí­cia

O Núcleo Regional da Defensoria Pública em Gurupi concluiu, esta semana, a análise de 354 processos de detentos dos estabelecimentos prisionais da Região, assistidos pela Instituição. A ação faz parte do Projeto “Força Estadual Permanente de Assistência e Defesa ao Preso”, criado com o objetivo de diagnosticar a situação prisional do Tocantins.

Em Gurupi, as atividades do Projeto Força Estadual iniciaram no dia 16 de fevereiro deste ano, com a presença do defensor público geral do Estado, Marcello Tomaz de Souza, que na ocasião focalizou a importância do Projeto para a ressocialização do preso, destacando que o Tocantins possui uma população carcerária relativamente pequena, cerca de 1.800 presos, e que ainda há a possibilidade de resolução dos problemas enfrentados pelo sistema prisional.

Foram três dias de trabalho que consistiram em visitas e inspeções aos estabelecimentos prisionais e na realização de atendimentos individualizados aos mais de 500 presos que se encontram na Casa de Prisão Provisória de Gurupi, na Cadeia Feminina de Figueirópolis e no Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã. Atividades essas que foram coordenadas pela defensora pública Franciana Di Fátima Cardoso, responsável pelo Núcleo de Assistência e Defesa ao Preso – NADEP, com o apoio dos defensores públicos Neuton Jardim dos Santos, Kita Maciel, Murilo da Costa Machado, Fabrício Brito, Luiz Sá, Arthur Luiz Pádua, Letícia Amorim, Maria Cristina da Silva, Euler Nunes, Rudicléia Barros, Ronaldo Ruela, Silvânia Barbosa, Lara Gomides, Chárlita Teixeira e Mônica Prudente.

“A importância desse projeto é fazer dele mais do que um evento, pois trabalhamos em uma força permanente, em ações para amenizar a situação prisional no Estado. Chegar até aqui com os números alcançados já é uma vitória para todos nós que trabalhamos incansavelmente para a conclusão dessa ação”, afirmou o diretor do Núcleo Regional em Gurupi, Neuton Jardim dos Santos.

Fonte: Assessoria de Imprensa Defensoria Pública

Por: Redação

Tags: Defensoria Pública