Estado

Foto: Divulgação

Durante dois dias, os coordenadores do “Crianças Saudáveis, Futuro Saudável” participaram de mais uma capacitação para o programa. Desta vez, para implantação de acompanhamento de hortas nas escolas públicas, cujos legumes e verduras irão reforçar a merenda escolar. Fruto de parceria entre o Consórcio Estreito Energia (Ceste), Fundação Suez, Instituto Alcoa e a Organização Não Governamental Inmed Brasil, o plano busca melhorar a qualidade de vida das crianças, contribuindo com o combate e prevenção a verminoses e anemia.

Realizado nos 12 municípios da área de abrangência da Usina Hidrelétrica Estreito (UHE Estreito) – Carolina e Estreito (MA) e Aguiarnópolis, Babaçulândia, Barra do Ouro, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratins, Palmeirante, Palmeiras do Tocantins e Tupiratins (TO) – o projeto atende 14 mil 238 crianças, de 197 escolas públicas municipais. Cada um desses meninos e meninas, periodicamente, recebe vermífugos e sulfato ferroso, para combater o baixo peso, anemia e verminoses. Tudo sendo devidamente autorizado pelos pais e orientado por profissionais de saúde.

Iniciado em março de 2009, o “Crianças Saudáveis, Futuro Saudável” tem promovido palestras, encontros de capacitação, rodas de conversa sobre educação sanitária, higiene e prevenção, por exemplo. Fora isso, os coordenadores do programa têm dado prosseguimento à implantação de hortas em escolas públicas para reforçar a merenda escolar. Em 2010, cada município conquistou um espaço dentro das escolas, para plantio e cultivo de legumes e verduras, que ganhou a simpatia da comunidade.

Passado mais de um ano da ação, os resultados já são visíveis, segundo Edson Lima, coordenador do programa “Crianças Saudáveis, Futuro Saudável” em Babaçulândia (TO). “Já houve melhora no desempenho escolar deles e também podemos comemorar o envolvimento dos alunos no plantio e manutenção da horta na Escola Municipal Poeta José Gomes Sobrinho”, comenta. Ele acrescenta que ainda neste semestre uma segunda horta será implantada no município, na Escola Municipal São Francisco.

Em Estreito (MA), a coordenadora do projeto, Maria Emília, comenta que os resultados também são satisfatórios. “Nas conversas com os professores das crianças que integram o projeto, eles afirmam que houve uma melhora no rendimento deles em sala de aula e uma visível mudança, pra melhor, os aspecto deles”, diz. No município maranhense uma horta já funciona na Escola Virgílio Franco e outra será instalada na zona rural do município.

A coordenadora pedagógica da Inmed Brasil, Marília de Oliveira Campos, responsável pelo “Crianças Saudáveis, Futuro Saudável” no Maranhão e Tocantins explica que a fase atual do projeto dá prosseguimento à implantação das hortas. Além disso, prevê a capacitação das merendeiras das escolas e das mães das crianças atendidas pelo projeto.

O diretor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Ceste, Dimas Maintinguer, afirma que é política do Consórcio Estreito Energia desenvolver e implantar ações para o desenvolvimento sustentável de toda a área de influência direta da Usina Hidrelétrica Estreito, como este programa. Segundo ele, sem a parceria da administração pública municipal – que disponibilizou funcionários para coordenar o projeto nos municípios - e das famílias dos alunos atendidos, o projeto não alcançaria resultados tão positivos.

“Os resultados já apontados pelo ‘Crianças Saudáveis, Futuro Saudável’ – melhoria da saúde e alimentação e no rendimento escolar – traduzem a importância desse compromisso voluntário assumido pelo Ceste com os municípios alcançados pelas obras da UHE Estreito. O Consórcio sente-se satisfeito em poder contribuir com essa melhora na qualidade de vida dessas crianças assistidas pelo projeto”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ UHE Estreito