Polí­tica

O deputado do PPS, líder da bancada de oposição que propôs o cancelamento de R$ 18 milhões da secretaria de Comunicação, salientou que retira a emenda se o governo especificar o débito de R$ 16 milhões que o governo argumenta ter de dívidas na pasta.

“Se tem R$ 16 milhões que o secretário apresente os débitos e o objeto para sabermos o que é”, ponderou.

Aragão salientou que se o secretário de Planejamento e Modernização da Gestão pública, Eduardo Siqueira Campos fizer o compromisso de pagar o débito ele recuará da proposição. “Eu tiro a emenda se esse débito ficar consignado e o secretário fizer um compromisso público de pagar”, frisou.

No entanto, a proposta de redução de Aragão na pasta precisa ter aprovação de maioria dos parlamentares o que ainda não está garantido.