Polí­cia

Foto: Divulgação

A Secretaria Estadual de Segurança Pública entregou nesta segunda-feira, 11, vários equipamentos para as polícias militar e civil de Palmas e do interior do Estado.

A cerimônia contou com a presença de vários integrantes do governo. O secretário da pasta, João Costa Ribeiro Filho salientou que a meta do governo é equipar a polícia para melhorar a atuação nas ruas e nas operações.

Em seu discurso no evento o secretário salientou que o governo já está reestruturando as unidades prisionais e investindo ainda na melhoria de condições de trabalho.

Na sua fala o secretário pediu inicialmente um minuto de silêncio pelas vítimas do atentado em Realengo no Rio de Janeiro, onde 12 crianças foram mortas por atirador. “Que jamais uma tragédia dessa ocorra no nosso Estado”, salientou.

Foram entregues 12 viaturas duas ambulâncias além de equipamentos como coletes computadores e outros. “Não vamos aceitar a desonra moral e a impunidade”, frisou o secretário.

Na sua fala sem citar nomes ele frisou ainda que “aqueles que assaltaram os cofres do Estado precisam ser punidos”, afirmou. Se referindo aos governos anteriores o secretário disse que a situação deixada nas delegacias revela um caos. “As delegacias foram abandonadas, a segurança pública ficou abandonada”, disse.

O secretário disse ainda que em pouco tempo o Tocantins terá a melhor polícia do Brasil e que os policiais estão orientados a agir com medidas enérgicas e intransigentes.

Greve na CPP

Falando sobre a rebelião que aconteceu na semana passada na Casa de Prisão Provisória de Palmas o secretário salientou que a reforma já começou e que a polícia identificou e sabe quem coordenou o início de rebelião.

O secretário disse que é preciso ver os presos como seres humanos mas que “uma dúzia de criminosos não tem procuração para falar em nome do sistema penitenciário do Tocantins”, frisou.

Recado

Na cerimônia o secretário não citou nomes mas falou mandando recado aos que chamou de “ grupo de desocupados e bajuladores do poder” na secretaria. Na ocasião ele disse que o governador sabe separar o joio do trigo.

“Em qualquer governo existe dois grupos. Um grupo que trabalha, e outro de desocupados, que não trabalha e que vive a falar mal dos que trabalham. São os bajuladores do poder. Mas o governador saberá separar o joio do trigo”, salientou, se referindo possivelmente a divergências internas na pasta.

Presente no evento o senador Vicentinho Alves (PR) salientou que está à disposição para ajudar o governo principalmente na área da Segurança Pública. O senador frisou ainda que a polícia do Estado tem condições de ser a melhor do Brasil.