Economia

Foto: Divulgação

Após ampla participação popular em duas audiências públicas, a Secretaria Estadual do Trabalho e da Assistência Social -Setas formatará o projeto da Lei Estadual de Economia Solidária com as alterações propostas pelos parceiros e encaminhará o Projeto para avaliação da Casa Civil e posterior aprovação da Assembleia Legislativa, nos próximos dias.

A primeira audiências pública foi realizada no dia 07 de abril e contou com a participação do governador do Estado, Siqueira Campos, que expressou a disponibilidade do executivo em efetivar a Política de Economia Solidária no Tocantins: “O governo está pronto para fortalecer essa prática. Temos que aprovar essa lei o mais rápido possível para que possamos firmar parcerias”, declarou o governador.

Buscando ampliar as discussões e inserir as propostas do Fórum Estadual de Economia Solidária, que debate o tema desde 2003 no Estado, novas reuniões foram realizadas no período de 20 dias. Nesta quarta-feira,27 a Setas reuniu, no auditório da Assembleia Legislativa, empreendimentos sociais, beneficiários de programas sociais, igrejas, instituições públicas e privadas e representantes do Fórum Estadual de Economia Solidária e de 15 secretarias do Governo Estadual.

Segundo o diretor de inclusão produtiva da Setas, Valter Frota, na ocasião, o Projeto de Lei foi lido, debatido e aprovado, parágrafo por parágrafo e declarou: “Buscamos fazer o processo o mais democrático possível, para que a lei seja um reflexo do anseio popular”.

Para a coordenadora do Fórum Estadual de Economia Solidária, Luciana Pereira de Souza, a lei será muito positiva para o setor, uma vez que fortalece o debate sobre o tema e garante recursos para fomentar as atividades. Sobre a lei, Luciana explica: “As propostas levantadas com os vários setores da Economia Solidária estão compondo essa lei, por isso ela se torna tão importante”.

O presidente da Associação de Catadores de Materias Recicláveis de Porto Nacional, Valdeci Cardoso da Cruz, usou a oportunidade para expor as inúmeras dificuldades enfrentadas pelos empreendimentos sociais do Estado. Os principais problemas apontados foram a falta de recursos financeiros e o amparo legal. Para Valdeci a Lei pode sanar boa parte desses problemas: “O projeto é muito bom, todos foram ouvidos e aprovaram”. Completou o presidente.

Economia Solidária

A Economia Solidária vem se destacando no país como uma alternativa de geração de renda para a inclusão social, com iniciativas de organizações privadas, não-governamentais e do poder público. Dessa forma o Governo do Tocantins tem ações por meio da Secretaria do Trabalho e da Assistência Social com os projetos de fomento à Piscicultura, Apicultura, mini-fábricas de temperos, feiras de trocas, entre outras que ainda devem ser implantadas com a nova Política.

No Tocantins são 503 empreendimentos cadastrados, mas já existe uma proposta de um novo mapeamento para verificar os novos empreendimentos que foram abertos nos últimos anos.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Setas