Polí­tica

Em um breve pronunciamento ao final da sessão ordinária da manhã desta quinta-feira, 5, o deputado Eli Borges (PMDB), vice-presidente da Casa, questionou a validade na indicação de outro conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

Em seu rápido discurso, o deputado frisou que o conselheiro Herbert Carvalho não teve seu nome incluso em uma lista prévia conhecida como lista tríplice,antes de ser indicado ao cargo no conselho do TCE. “Eu hoje tenho provas documentais de que o conselheiro Herbert foi indicado exclusivamente pelo governador do Estado, e não através de uma lista tríplice, como manda o ritual”, disse.

O deputado ainda destacou o período de mudanças pelo qual o Estado passa, em que a democracia precisa ser levada em conta. “Estamos vivendo um momento extremamente importante neste estado que é de dar legalidade às ações e instituições”, completou.

Bonifácio responde

Já o líder do governo, deputado José Bonifácio (PR) respondeu à fala de Eli Borges. De acordo com o deputado, este não é o momento de se trazer à tona falhas do passado nas indicações do TCE. “Nós temos que analisar o que vem pela frente”, frisou.

Bonifácio ainda defendeu a indicação de Leide Mota pelo governador do Estado e frisou que esta indicação é, sim uma prerrogativa de Siqueira Campos. “Se analisarmos a composição do TCE, nós já temos, auditores, procuradores e os quatro nomes indicados pela Assembleia. Agora é a indicação de livre escolha do governador”, completou.