Campo

Foto: Divulgação

Os produtores do projeto de irrigação São João já podem começar a plantar. O governador do Estado Siqueira Campos e o secretário da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Jaime Café, inauguraram, na manhã desta sexta-feira, o projeto de irrigação São João. “Este projeto é a realização de um sonho, que teve início ainda em 2001 e ao acionar estas turbinas me sinto feliz e honrado. O projeto já devia estar em pleno funcionamento e os produtores já deviam estar colhendo seus produtos”, disse o governador.

Siqueira Campos ressaltou ainda que o projeto é importante para o Estado e que precisa funcionar para ser modelo para o Brasil. “Precisamos dar condições necessárias para os produtores, para que possam produzir e abastecer o mercado das cidades localizadas ao estorno do projeto, oferecer qualidade de vida, desenvolvimento social e econômico para os que apostaram no projeto. O Governo já oferece alíquota zero para a fruticultura como forma de incentivo”, frisou.

Para o secretário, esta foi apenas a primeira ação em relação aos projetos em andamento no Estado. “Não apenas inauguramos, colocamos para funcionar. A água já é realidade no São João e nossa meta agora é trabalhar para que os outros projetos também se tornem realidade e comecem a produzir, gerando riquezas e trazendo desenvolvimento para estas regiões”, completou Jaime Café.

A produtora rural, Maria do Carmo Martins, disse que está no projeto há mais de seis anos e que até então produzia grãos, como milho e feijão. “Agora com a chegada da água, dá para produzir outros produtos. Vou plantar principalmente frutas, como banana e goiaba”, revelou.

O Projeto

O São João já abastece alguns feirantes da 304 Sul,com produtos como alface, almeirão, rúcula, rabanete, ervas e cebolinha, entre outros. O projeto trata-se de um Pólo de fruticultura, sob a responsabilidade da Seagro, localizado à margem direita da rodovia estadual TO-050, no sentido Palmas - Porto Nacional, concebido para captar água do reservatório da UHE Luís Eduardo Magalhães, em uma área de 5.170 hectares dividida em 361 lotes, destinados a pequenos produtores além dos lotes empresariais distribuídos em dez setores hidráulicos.

Para implantação do projeto foram aplicados R$ 279 milhões, com o pleno funcionamento do é previsto a geração de aproximadamente 5.000 empregos diretos e indiretos. Atualmente, existem 341 lotes ocupados. As culturas existentes contemplam hortaliças, bananas, abacaxi, maracujá, viveiro de mudas frutíferas e florestais.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Agrotins