Polí­tica

Foto: Isis Oliveira

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta terça-feira, 17, o deputado estadual Marcelo Lelis (PV) criticou as declarações do ministro da Agricultura, Wagner Rossi e, mais uma vez, se mostrou contrário ao novo Código Florestal brasileiro, em processo de discussão e votação na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Na última semana, em visita à Agrotins 2011, o ministro da agricultura defendeu a mudança no Código Florestal e justificou informando que 51% do território brasileiro é composto de área verde, de matas e florestas.

Lelis frisou que o Rossi errou ao defender a aplicação do Código, principalmente em seu artigo 24, que reduz a reserva para Área de Proteção Permanente (APP) em propriedades rurais. Hoje, o produtor precisa reservar uma faixa de 30 metros de matas ciliares nas margens de rios e córregos. “Isso foi um erro (a declaração do ministro). O que ele devia dizer é que a maior riqueza do nosso planeta é a natureza. Mais dia, menos dia os serviços ambientais serão pagos”, frisou.

De acordo com o deputado, o impacto causado com a redução nas áreas de matas ciliares é muito grande e precisa ser evitado. “O impacto é total. As matas ciliares são como os cílios dos nossos olhos e protegem as nossas águas que são a principal riqueza do nosso planeta”, disse.

Boicote oposicionista

Em dia de plenário com apenas metade de seus deputados, a falta sentida foi da bancada de oposição. Dos 12 parlamentares presentes, nenhum era parte do grupo contrário à Siqueira Campos (PSDB). No entanto, o deputado rechaçou a possibilidade de boicote oposicionista e frisou que as questões sociais devem estar à frente de disputas políticas.

“O rito da Casa é importante, mas mais importante que o rito da instituição, são as prefeituras que estão esperando pela definição do TCE para terem suas contas julgadas”, finalizou o deputado.