Estado

O jornalista Otávio Barros da Silva defendeu nesta sexta-feira, 20, que o governo do Estado do Tocantins deveria referenciar a memória médico Murilo Bahia Brandão Vilela, decretando luto oficial no Estado.

Vilela faleceu no último dia 19 na antiga Boa Vista do Tocantins, hoje Tocantinópolis. O médico era de tradicional família alagoana e nos 60, segundo Otávio Barros, deixou “o conforto da cidade grande para ser o médico humanitário da pobreza do então norte goiano”, diz.

Segundo Otávio Barros, ao lado da medicina, o médico também contribuiu com a cultura tocantinense, como autor premiado em concursos literários no Tocantins e no Brasil.

“Amanhã, quando se escrever a história da medicina no Tocantins, os nomes de Dr. Zeca (Carolina), Oscar Sardinha Neto (Tocantínia), Salomão (Araguaína) e Manzano (Porto Nacional) hão de ser lembrados ao lado do Dr. Murilo como profissionais que praticavam a verdadeira medicina e não ‘os negócios’ de saúde, conclui Otávio Barros.