Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Já no final da sessão ordinária da manhã desta terça-feira, 24, a deputada Josi Nunes (PMDB), comentou matéria veiculada no Conexão Tocantins na tarde de ontem, sobre a reunião dos líderes da antiga União do Tocantins, realizada na cidade de Araguatins durante a noite.

Comentando a matéria, a deputada frisou que é, no mínimo estranho, um conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, no caso Vagner Praxedes, alugar uma pousada para guardar as cerca de 6 mil cestas básicas distribuídas na cidade pelo governador Siqueira Campos. “Olha como este governo é contraditório. Num momento diz que não pede voto para funcionário público nem em época de eleição e noutro um conselheiro do TCE aluga esta pousada”, completou.

Já o deputado Sargento Aragão (PPS) foi mais contundente e afirmou que é preciso que a justiça seja acionada para investigar o suposto caso do aluguel da pousada pelo conselheiro. “Se um conselheiro aluga uma pousada para guardar 6 mil cestas básicas, a polícia tem que ser acionada”, completou.

O deputado ainda ressaltou que o ideal seria a participação dos deputados estaduais nas investigações. “A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) é o melhor caminho. Precisamos chamar o conselheiro para se explicar”, disse.

Entenda

Na tarde da última segunda-feira, líderes da antiga União do Tocantins da cidade de Araguatins enviaram material para a imprensa mostrando sua insatisfação com a atuação do governo do Estado com relação aos órgãos estaduais do município. Outro ponto questionado por lideranças locais foi o método de atuação do conselheiro do TCE na cidade. “Ele tem que decidir se é prefeito de Araguatins, conselheiro do TCE ou dono de pousada”, disse um dos líderes.