Esporte

Na abertura oficial, dos Jogos Estudantis do Tocantins, realizada na quinta 26, os estudantes da Regional de Araguatins fizeram um coro para pedir a inclusão das pessoas com deficiência. Da decoração ao juramento dos atletas, tudo foi pensado para dar acessibilidade aos estudantes e ao público, com rampas e tradução da cerimônia em Libras, a Língua Brasileira de Sinais.

Os alunos das Apaes, emocionaram o público com o Hino do Excepcional e deram uma demonstração de animação e força de vontade dançando e batendo bola em quadra. O acendimento da Pira Olímpica também ficou por conta dos educandos da Apae, representados pelo jovem Pedro Vilarin. Eles receberam ainda premiação pela participação nos Jogos Especiais, que contou com a participação dos alunos das Apaes de todo o Estado.

A subsecretária de Administração Educacional da Secretaria Estadual de Educação, Ângela Maria Matos, falou sobre a escolha do tema. “Cada Regional ficou livre para escolher a temática dos jogos e neste ano, que é considerado o ano da diversidade, foi uma ótima escolha. A inclusão é uma das prioridades deste Governo na área educacional”, frisou.

Os alunos do Centro de Ensino Médio de Araguatins levantaram a torcida com o rap ‘Meu Canto é Aqui’, falando das riquezas do Bico do Papagaio e do orgulho de pertencer à Região. Para fechar com chave de ouro, o coral de mímicas e libras, ‘Mãos que exaltam’, do Colégio Adventista de Araguatins, fizeram o público, vindo de 12 municípios, literalmente cantar com as mãos.

Na solenidade o administrador da Unidade Regional de Araguains, Francisco Aldivino, fez em seu discurso um breve relato sobre o início das competições esportivas no Brasil. A diretora Regional de Ensino, Ulissevânia Salles e autoridades municipais também estiveram presentes.

Tocantinópolis

Há 165 km dali, em Tocantinópolis, um pedido de “Paz” ecoou no ginásio da cidade, que reuniu estudantes de 9 municípios. A temática foi definida com o objetivo de “fazer um apelo contra a violência”, como explicou a diretora da Regional de Ensino de Tocantinópolis, Luciana Gomes.

Estudantes indígenas e não índios se juntaram para mostrar que em quadra “o que importa é competir e vencer é só uma das opções”, palavras do jovem Thiago Souza, da Escola Estadual Nazaré Nunes, de Aguiarnópolis.

Na Regional, a inclusão e a diversidade também foram abordadas no juramento dos atletas, proferido em Português, Libras, e na língua materna dos indígenas. O juramentista, Marlon Apinajé, veio da Escola Estadual Indígena Tekator. Para ele participar dos Jets significa muito mais do que um jogo de futebol ou uma medalha. “No jogo, índio e branco são iguais. A gente ensina pra eles nossa cultura e aprende a deles também”, diz o estudante que representa a escola pelo segundo ano consecutivo nos Jets.

O prefeito de Tocantinópolis, Fabion Gomes e autoridades do município também estiveram presentes no evento.
Competições

Até domingo os mais de 500 atletas das duas Regionais participam das competições nas modalidades de futsal, handebol, voleibol, xadrez, atletismo e tênis de mesa.

Os grandes campeões seguem para a final estadual em Paraíso do Tocantins, em agosto. De lá os finalistas partem para João Pessoa, na Paraíba onde vão representar o Tocantins nas Olimpíadas Escolares, marcadas para acontecer entre os dias 9 e 18 de setembro.

Fonte: Ascom Seduc