Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

Em pronunciamento à frente da tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira, 2, o deputado estadual Stálin Bucar (PR), teceu duras ceíticas à condução das investigações da operação da Polícia Civil chamada “Inconfidente” e fez ameaças, caso aconteça algo de mais grave ao seu filho, investigado pela polícia.

O deputado ainda frisou que as investigações contra seu filho, o ex-presidente do Naturatins, Stálin Beze Bucar, tem fundo político por conta de sua postura como deputado de oposição ao governo Siqueira Campos (PSDB). “É filho do deputado Stálin, um deputado de oposição, que não se rende e que não vai se render. Não estou dizendo aqui que foi determinação do governador para pressionar a investigar quem fosse”, disse.

O deputado disse que tem medo de que a família de Vanthieu Ribeiro da Silva, encontrado morto nas margens do lago na TO-010, querer se vingar de seu filho que, segundo ele, não tem envolvimento com o caso. “Essa família que perdeu esse rapaz possa querer se vingar do meu filho que não tem culpa. Aí eu também vou querer me vingar. Não vou esperar decisão da justiça”, ameaçou.

Investigação

O deputado, em tom preocupado, deixou transparecer que a investigação não estaria seguindo os rumos corretos para que os condenados sejam punidos pela justiça. “A forma que está caminhando essa situação, não é para condenar um filho meu pela justiça não”, disse.

Virada para Siqueira

O depoimento de Stálin se voltou contra Siqueira Campos, no momento em que ele faz a ligação política para as investigações da “Operação Inconfidente”. “Outras pessoas também foram investigadas e entraram nas suas casas. Mas com qual outro foi parar na imprensa e que armaram um aparato de guerra?”, questionou.

Mesmo se dizendo confiante de que o governador não teria pressionado o delegado para que as investigações envolvessem seu filho, Stálin frisou tem certeza de que a investigação possui motivação política. “Vivemos em um Estado em que não se pode escolher um lado para ficar. Mas isso não vai nos intimidar”, completou.

O deputado frisou que sempre teve um bom relacionamento com a família do governador do Estado e disse que espera que as investigações não mudem esse quadro. “Quero que através dessa política não se crie ódio entre a família Beze Bucar e a família Siqueira Campos”, salientou.

E se voltando diretamente para o governador, Stálin frisou que, "assim como ele, Siqueira também tem filhos se matarem um filho meu, podem ter certeza de que ele também vai sentir a dor de perder um filho dele”, disse.