Polí­tica

Foto: Arquivo/ Conexão Tocantins Para deputados, tanto Marcelo quanto Gaguim terão condições de assumir coordenação da oposição Para deputados, tanto Marcelo quanto Gaguim terão condições de assumir coordenação da oposição

Em visita à Assembleia Legislativa do Tocantins na última terça-feira, 7, o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) informou que mesmo sem mandato em vigência está se movimentando e não esconde sua vontade de disputar um mandato em 2014. Outro nome forte do bloco de oposição para a disputa eleitoral contra o governador Siqueira Campos é o do também ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) que disputou a reeleição e perdeu no ano passado.

Sobre a possível liderança do grupo oposicionista para o pleito de 2014, os deputados estaduais do partido dos dois ex-governadores comentaram ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira que tanto Marcelo quanto Gaguim são nomes fortes para assumir a frente da oposição.

Gaguim, aliás, segundo Josi, também não tem se mantido ausente das discussões políticas. “O (ex) governador Gaguim também não parou. Está o tempo todo em Brasília, conversando com líderes e companheiros”, completou.

A deputada Josi Nunes (PMDB) informou, no entanto, que, ainda é muito cedo para se fechar um nome específico para concorrer às eleições daqui 3 anos. De acordo com ela, como ambos foram governadores do Tocantins, “todos tem um apelo muito forte. O cenário no futuro é que vai dizer”, afirmou.

Na ocasião a deputada ainda aproveitou para salientar outros nomes de possíveis líderes oposicionistas dentro e fora do PMDB. Além de Gaguim e Miranda, a deputada destacou a participação estratégica do ex-deputado Derval de Paiva dentro do partido, além do atual presidente da comissão provisória do partido, o deputado federal Junior Coimbra. “Mas temos outros líderes, como o PSB, o PT, o PPS”, disse, citando os partidos de oposição dentro da Assembleia Legislativa.

Já o presidente em exercício da Casa de Leis, Eli Borges (PMDB), de forma mais contida, informou que acredita na força de liderança dos dois ex-governadores. Sobre uma possível preferência entre os nomes, no entanto, o deputado destacou que prefere aguardar até pelo menos o segundo semestre antes de comentar. “Eu prefiro dizer que são dois líderes de peso. Preciso reconhecer o trabalho, a importância e o valor deles”, comentou.

Eli, que também tem despontado como um dos líderes do PMDB na Assembleia Legislativa, tem sido cotado para concorrer já nas eleições municipais do ano que vem na capital Palmas. Só faltaria definir se seria como candidato a prefeito, ou vice. Mas sobre isso, o deputado também foi evasivo. “Vamos deixar para o segundo semestre”, arrematou.