Cultura

Foto: Divulgação

Uma semana de muita efervescência cultural começa nessa segunda, 13, com o início da 31ª Semana da Cultura de Porto Nacional. A cidade, distante 60 km da capital Palmas, será palco de manifestações artísticas regionais e nacionais. A partir das 20h, a cantora gospel, Alda Célia, já se apresenta em um palco montado na Avenida Beira-Rio.

Um dos pontos altos do evento deve ser a apresentação da consagrada cantora Fafá de Belém, que abre oficialmente a Semana da Cultura, nesta terça, 14, a partir das 20h, junto com a apresentação do grupo regional Tambores do Tocantins.

Para a prefeita de Porto Nacional, Teresa Martins (PDT), promover mais edição da semana da cultura é reafirmar a cidade de Porto Nacional como um dos berços culturais do estado, e o evento vem para confirmar o compromisso do governo Municipal com a promoção cultural na cidade.

Secretário da pasta, Jefferson Lopes, fala das inovações no projeto este ano. A estrutura, exemplifica, estará voltada para o Centro Histórico de Porto Nacional, devido às comemorações em torno dos 173 anos de história e 150 anos de emancipação política da cidade. Outra novidade será a montagem de uma vila onde será vista, nas barracas, a fachada das casas antigas do centro histórico portuense.

Programação

Para os participantes da semana da cultura está preparada uma extensa, mas prazerosa agenda cultural até a próxima sexta, 17. Na quarta, 15, abrem as apresentações da Festival da Canção. Mas a programação ainda se entende à entrega de comendas, apresentações escolares e de quadrilhas municipais, shows regionais e lançamento de livros.

Fafá de Belém

Maria de Fátima Palha de Figueiredo, mais conhecida como Fafá de Belém é dona de uma das mais expressivas vendagens de discos no mercado nacional. Presença constante nas paradas de sucesso e à frente de atribulada agenda de shows, nos últimos anos Fafá de Belém conquistou o posto de estrela da nossa canção popular.

“Hoje me vejo como uma cantora dos grandes amores, das perdas e dos reencontros. Se a música não me arrepiar, não gravo. Se não for personagem da letra, não consigo interpretar. Sou um dramalhão, uma passional”, costuma afirmar, entre gostosas risadas, porém do fundo do coração, a grande intérprete de “Nuvem de Lágrimas”, primeira canção sertaneja a tocar nas FM’s do Rio.

Fafá virou marca nacional. Marca nacional de alegria, com aquela gargalhada sinceramente estrondosa que é capaz de levantar os ânimos de qualquer um. Marca nacional de saúde, a bela mulher brasileira que batizou até as lanternas do antigo Fusquinha, outra paixão popular. Marca nacional de liberdade, símbolo de um movimento político que fez milhões de brasileiros se emocionarem com sua interpretação do hino pátrio.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Prefeitura de Porto Nacional