Campo

Foto: Madson Maranhão

O Projeto Piratins prevê a instalação de 500 tanques-redes em dez municípios tocantinenses no entorno dos lagos de Peixe e Lajeado. Através desse projeto, que está em fase final de elaboração, o governo do Tocantins, através da Subsecretaria de Aquicultura e Pesca, quer impulsionar a prática da piscicultura no Estado. Nesta quarta-feira, 15 de junho, a subsecretária de Aquicultura e Pesca, Miyuky Hyashida, se reunirá com representantes da Embrapa Pesca e Aquicultura para discutir especificações do Projeto Piratins. O encontro será às 14h, no auditório do Sebrae.

De acordo com a diretora de pesca da Subsecretaria de Aquicultura e Pesca, Maria do Carmo Teixeira, nas últimas reuniões foram discutidas as questões gerais do projeto, com prefeitos e outros parceiros. “Agora vamos discutir as questões específicas, para fecharmos o projeto da melhor forma antes de enviarmos para Brasília, para a captação de recursos”, explicou a diretora. Segundo ela, as secretarias estaduais das Cidades e do Desenvolvimento Urbano e da Ciência e Tecnologia também deverão participar dos trabalhos.

A captação dos recursos para o desenvolvimento da iniciativa deverá ser feita junto ao Ministério da Integração Nacional, através da Secretaria das Cidades e do Desenvolvimento Urbano do Tocantins. O Piratins é divido em diversas etapas e compreende elaboração, capacitação técnica e de gerenciamento, aquisição do material, criação, processamento e a comercialização do pescado. A ação prevê ainda a criação de ao menos uma unidade de processamento do pescado.

O intuito do governo, através do projeto Pirantins, é introduzir o pescado na alimentação escolar, através do PNAE - Programa Nacional de Alimentação Escolar. De acordo com nutricionistas do Estado, o ideal é que cada aluno consuma 100 gramas de peixe fresco por semana. Levando em consideração que os municípios que fazem parte do projeto têm cerca de 90 mil alunos das escolas públicas estaduais e municipais, seria necessária a produção de 350 toneladas de pescado por ano, para suprir a demanda.

A iniciativa contempla dez municípios banhados por lagos: Palmas, Porto Nacional, Brejinho de Nazaré, Lajeado, Miracema Tocantins, Ipueiras, Peixe, Paranã e São Salvador, além do município de Almas, onde será desenvolvido um trabalho de reestruturação dos projetos de aquicultura já existentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa Seagro