Campo

Foto: Divulgação

O município de Divinópolis sediou nesta quinta-feira, 16, um importante encontro que discutiu a retomada do projeto DRS - Desenvolvimento Regional Sustentável, voltado para a cadeia produtiva do leite. A reunião, promovida pelo Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins ( Ruraltins), vinculado a Secretaria da Agricultura, pecuária e Desenvolvimento Agrário( Seagro), contou com as presenças dos parceiros nesta iniciativa como Incra, Coopter, Agroter, Naturatins, Prefeitura, Unitins-Agro, dirigentes de Associações, Banco do Brasil, lideranças da comunidade local e produtores rurais.

Previsto para ser implantado há dois anos, o DRS propõe a instalação de três unidades de resfriamento e armazenamento na região de Divinópolis e ainda aquisições de 01 (um) caminhão tanque para transporte do Leite, 03 (três) computadores completos, 03 (três) kits para análise laboratorial do leite, 03 (três) Tanques de resfriamento de 4.500 litros de leite cada e 03 (três) kits de Móveis para escritório, com investimentos de mais de R$ 700 mil reais a serem financiados pela Fundação Banco do Brasil.

De acordo com a engenheira agrônoma do Ruraltins , Alécia Borges, para viabilizar o DRS foi realizado um diagnóstico participativo nos Projetos de Assentamento Consolação, Piedade, Palmeirinha, Toledo I e Rio Prata localizados no município de Divinópolis e Grota de Pedra, localizado em Monte Santo. O levantamento incluiu também produtores rurais tradicionais, não assentados, vizinhos a esses assentamentos e de uma comunidade da região denominada Areias. “ Interessados e preocupados com sua condição, pois alguns já não tinham mais como comercializar e nem vender o leite produzido, os agricultores nos procuraram. Daí percebemos que poderíamos trabalhar a cadeia produtiva de leite na região e implantar o DRS”, explicou a coordenadora.

Expectativa

Produtor de leite desde a década de 90, Joacir Pereira Barros, presidente da Associação dos pequenos produtores tradicionais de Divinópolis, ressalta que o projeto é de vital importância para eles. “ Estamos dispostos a contribuir, somos um grupo de 15 produtores e hoje nossa maior dificuldade é quanto a comercialização, mas com a chegada de um sistema de coleta teremos como negociar diretamente com os laticínios e conseqüentemente vamos melhorar nossa renda e a qualidade de vida “, disse.

Jânio da Silva dos Santos morador do Projeto de Assentamento Piedade, a 19 km de Dianópolis, ganha a vida produzindo queijo e doces, mas no futuro vai poder diversificar a atividade. “Estamos torcendo para que o projeto saia logo do papel, pois acredito que mudará a vida das 32 famílias residentes no assentamento. Essa é a nossa, esperança”, frisou.

Para o presidente do Ruraltins, Olimpio Mascarenhas, o projeto que se arrasta desde 2008 agora vai ser levado a sério, não só pelo Ruraltins, mas por cada um dos parceiros envolvidos nesta missão. “ Somente por meio da pesquisa, da assistência técnica, dos agentes financeiros e de políticas públicas poderemos promover o desenvolvimento do nosso Estado” destacou o presidente. E disse ainda que “ o homem do campo precisa dessas ferramentas para trabalhar melhor a sua produção, com isso o campo e a cidade saem vitoriosos’’.

DRS

O DRS – Desenvolvimento Regional Sustentável, da cadeia produtiva do leite está sendo analisado pelo Banco do Brasil, que o considerou como o melhor projeto já elaborado no Estado voltado para esse segmento. Em breve um novo encontro deve acontecer para anunciar a implantação definitiva do DRS que beneficiará 153 famílias da região de Dianópolis e Monte Santo.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Ruraltins