Campo

Foto: Divulgação

Na última segunda-feira, 20, foi divulgado o resultado vacinal da I etapa da campanha contra a febre aftosa no Estado. Assim como as modas de viola foram eternizadas na música brasileira, a primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa também mostrou estar enraizada na mente dos tocantinenses, que mais uma vez ajudou o Estado a manter ótimos índices vacinais. Nesta etapa, foram imunizados contra a doença 99,41% do rebanho, ou seja, 7.859.273 dos 7.905.845 animais existentes.

Dos 139 municípios tocantinenses, 52 vacinaram 100% do rebanho, outros 63 ficaram com o índice de cobertura vacinal acima dos 99%. Os demais municípios atingiram a média vacinal dos 90%, percentual estipulado pelo MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – para os estados classificados como área livre de aftosa com vacinação.

Oito das 11 delegacias regionais obtiveram um índice de vacinação acima dos 99%. A regional de Miracema do Tocantins, formada por 7 municípios, foi responsável pelo maior percentual de vacinação, 99,86%. “São 14 anos sem febre aftosa e um Sistema de Defesa Sanitária Animal que é referência em todo o Brasil. Estamos satisfeitos com os índices alcançados, pois atingimos o percentual acima do preconizado pelo MAPA”, destacou o presidente da Adapec, Geraldino Ferreira Paz. Acrescentando ainda a importância da participação dos produtores rurais neste processo, levando o Tocantins a manter um dos melhores índices de vacinação do País.

Rebanho

O Estado hoje conta com um total de 7.905.845 de bovídeos, sendo 7.896.902 bovinos e 8.943 bubalinos. Dos 139 municípios tocantinenses, 86 criam búfalos. Os cinco municípios com maior número de cabeças de gado são: Araguaçu, com 310.636; Araguaína, com 227.048; Formoso do Araguaia, com 212.909; Peixe, com 189.896 e Bandeirantes com 150.670 animais.

Penalidades

É importante lembrar que, o proprietário que deixou de imunizar seu rebanho está sendo visitado pelos fiscais agropecuários da Adapec, que marcarão a data para a realização da vacinação, com acompanhamento dos técnicos da Agência. Além disso, o produtor rural será multado em R$ 5,32 por animal não imunizado e R$ 127,69 por propriedade não declarada.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Adapec