Economia

Foto: Frederick Borges

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins – FIETO, Roberto Magno Martins Pires, participou na manhã desta quarta-feira, 22, do seminário Tocantins – Programas e Projetos Estratégicos. O evento é uma iniciativa do Governo do Estado, através da Secretaria do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública, juntamente com o Conselho de Coordenação de Programas e Projetos Estratégicos – COPPE. No final da manhã, o presidente participou de reunião no Palácio Araguaia com o governador Siqueira Campos acerca do PDI- Plano de Desenvolvimento Industrial do Tocantins.

O seminário conta com a participação dos secretários de governo e representantes de órgãos públicos e segmento privado, que no período da tarde apresentam suas principais ações na Escola de Gestão Fazendária – EGEFAZ, em Palmas.

O chefe de gabinete da Fieto, José Roberto Fernandes, que também participa do seminário para apresentação do PDI ao público presente, falou da importância do evento como uma visão de conjunto dos planos que já existem. “Para a Fieto conhecer essas ações é de grande relevância para realização de seu próprio planejamento, que deverá estar alinhado a essas atividades que já estão sendo desenvolvidas, não repetindo ações e priorizando ao máximo o desenvolvimento industrial do Tocantins”, diz Fernandes.

PDI

O Plano de Desenvolvimento Industrial do Estado, proposta que vem sendo defendida pela Fieto para a adesão de gestores públicos e elaboração de políticas com este fim, também foi assunto da agenda desta quarta, 22, do presidente Roberto Pires.

Pires apresentou a prévia do plano para o governador Siqueira Campos, no final da manhã de hoje, no Palácio Araguaia,e considerou que a proposta foi bem recebida pelo gestor estadual.O encontro contou ainda com a presença do secretário estadual de Industria e Comércio, Ernani Siqueira, do presidente da Fecomércio, Hugo de Carvalho e do superintendente do Sebrae, Paulo Massuia.

O Plano baseia-se em ações propostas pelo estudo Norte Competitivo que aponta soluções logísticas para o escoamento da produção industrial dos 9 estados que compõem a Amazônia Legal, o que inclui o Tocantins. São propostas obras como a melhoria de rodovias até a construção de eclusas, ferrovias e rodovias.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto