Geral

Foto: Divulgação Eurivan e seus colegas de sala durante aula no curso de Direito Eurivan e seus colegas de sala durante aula no curso de Direito

O acadêmico do curso de Direito da Faculdade Guaraí (FAG), Eurivan Gomes Farias (33), é uns dos mais novos ingressantes do curso de Direito da instituição e sua história de vida chama atenção pelos grandes desafios que enfrentou para conquistar mais este espaço.

Farias é natural de Porto Nacional (TO) é casado, possui um filho e é micro empreendedor no ramo de comunicação visual na cidade em que reside desde muito pequeno, Colméia (TO).

Quando tinha 6 anos de idade conviveu com uma grande dificuldade, onde juntamente com seus 7 irmãos teve que enfrentar a dura separação de seus pais, o que segundo ele próprio, foi muito difícil; Assim como seus irmãos trabalhou com sua mãe na confecção e vendas de salgados,atividade que ajudava a manter o orçamento da casa até seus 15 anos.

Aos 16 anos de idade trabalhou na agência dos correios de Colméia, e desde então começou a alimentar o sonho de cursar Direito, porém encontrava muitas dificuldades, já que a cidade onde morava não oferecia tal curso e a localidade mais próxima, Guaraí, ainda não tinha muitas opções.

Aos 19 anos de idade, mais precisamente no dia 09/02/1996 ao se deslocar da cidade de Guaraí com um amigo em direção à cidade de Pequizeiro (TO), trajeto de 70km, Eurivan modificava sua vida drasticamente. Na ocasião, ele e seu amigo deslocavam-se até a cidade para participar de uma festa e por volta das 23h30 quando retornavam à sua cidade, o veiculo que utilizavam, perdeu a direção e se chocou as margens da rodovia; o amigo de Farias utilizava cinto e teve apenas ferimentos leves mas Eurivan apresentou complicações mais sérias; ao perceberem a gravidade do acidente, populares que tentaram removê-lo o fizeram de forma inadequada e acabaram contribuindo para o rompimento de duas vértebras (c5 e c6) deixando-o tetraplégico.

Após vários anos de tratamento e muita dedicação, Farias pode recuperar o movimento dos braços e do pescoço ao ponto de durante todo o tratamento escrever um livro de 128 páginas contando sua história e falando de suas principais dificuldades. “Eu escrevi este livro praticamente deitado, pois não conseguia movimentar meu corpo” comenta Farias.

O livro intitulado “A mudança de um jovem” foi lançado em mais de 10 estados e encontra-se na 2ª edição, onde Farias conta com a colaboração de compositor Wellington Camargo, irmão dos sertanejos Zezé di Camargo e Luciano, que também é cadeirante e ficou conhecido quando em 2002 foi vítima de um sequestro que comoveu o País.

Hoje, Eurivan diz estar realizando um sonho cursando direito e considera muito importante a mobilidade para que sua locomoção seja facilitada, “Eu possuo veiculo adaptado, e me desloco todas as noites e aos sábados de Colméia até Guaraí, desde que cheguei até a Faculdade Guaraí obtive muita ajuda de todos, principalmente dos meus colegas, da minha família e da instituição que procura adaptar sua estrutura física as minhas necessidades, mas o fato de poder estar estudando no curso que sempre quis é o que mais me motiva a continuar.” Afirma Eurivan.