Campo

Foto: Divulgação

Pesquisadores da Embrapa Fortaleza (CE) estão no Tocantins para avaliar os módulos experimentais de caju no Centro Agrotecnológico de Palmas, onde acontece todos os anos a Agrotins, e no campus da UFT - Universidade Federal do Tocantins, em Gurupi. A ação faz parte do termo de cooperação técnica firmado entre a Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, através da coordenação de Desenvolvimento Vegetal, a Embrapa e a UFT.

Nesta terça-feira, 28, os pesquisadores visitam o módulo na Agrotins. Na quarta-feira, 29, será a vez de Gurupi. Segundo o pesquisador da área da fitopatologia (doença de planta) e engenheiro agrônomo da Embrapa, Marlon Valentim Martins, nesta visita será feita à avaliação das plantas. “No centro tecnológico estão sendo desenvolvidas 20 variedades, cerca de 160 plantas. Vamos analisar como está o desenvolvimento do porte, da castanha, da resistência e da produção. O resultado será a médio prazo. Uma pesquisa deste porte leva tempo para chegar a conclusão, de qual variedade é adaptada ao Tocantins”, ressaltou.

Pela UFT participa do projeto desde o início a professora do curso de Agronomia Susana Cristine. Ela explicou a função dos cooperados na pesquisa: “A Seagro viabiliza a logística, a UFT, através dos professores e alunos, faz a coleta e tabula os dados. Já a Embrapa fornece as variedades, seleciona os clones e analisa os dados. Um trabalho em conjunto com um objetivo único: desenvolver uma variedade que seja adaptada ao solo e clima do Estado e que tenha qualidade, resistência e produtividade”.

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Vegetal da Seagro, José Américo Vasconcelos, o objetivo final do Governo do Estado, através da Seagro e de suas vinculadas é colocar o Tocantins como produtor comercial de caju. “Atualmente, apenas uma propriedade no distrito de Buritirana investe na cultura do caju, mas ainda não possui produção para comercialização em grande escala”, frisou.

Fonte: Ascom Seagro