Estado

Foto: Divulgação

Durante seu pronunciamento na cerimônia de lançamento do Programa de Desenvolvimento Regional Integrado, o secretário de Planejamento e Modernização da Gestão Pública, Eduardo Siqueira relatou as dificuldades do governo ara conseguir manter o PDRIS.

“Nós já estávamos perdendo o PDRS (Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável) que está em andamento”, salientou relembrando a situação de inadimplência deixada pelo governo anterior com relação ao Banco Mundial.

O PDRS foi reiniciado pelo atual governo em abril deste ano. “Se tivesse feito um planejamento não teríamos chegado ao ponto que chegamos”, disse mencionando a desorganização que o governo anterior deixou com relação às obras.

O secretário condenou ainda ações emergenciais feitas em outras gestões e que não troxeram resultados. Não houve ações efetivas e planejadas com relação a tais programas de obras, segundo explanou o secretário.

Antes de Siqueira assumir o secretário contou que fez contato com o Bird informando da intenção de continuar com a parceria e os programas.O investimento no PDRIS será de US$ 375 milhões em parceria com o Banco Mundial (Bird).

Audiências

Serão realizadas audiências públicas nos 72 municípios contemplados com o programa. O secretário frisou a necessidade de ouvir a demanda da população para as obras. “Vamos nos municípios, ouvir a população”, disse.

Eduardo comentou ainda sobre a parte política do governo e relacionamento com a Assembleia Legislativa. “Eu tenho tido uma paciência da Assembleia”, frisou relatando que a prioridade é fazer valer a localização estratégica no Estado e aproveitar o momento propício. “Nós perdemos muito tempo com coisas que não levaram nada a lugar nenhum”, frisou.

Segundo a senadora Kátia Abreu o Estado está saindo da ficção e indo para a realidade. “Agora o povo vai saber o que é governar de verdade”, disse.Kátia contou que a Hidrovia Tocantins será o assunto da audiência entre o governador Siqueira Campos e a presidente Dilma Rousseff (PT).