Estado

Foto: Joatan Silva Usina da Bunge inaugurada nesta quinta-feira já desperta expectativa positiva entre agricultores da região Usina da Bunge inaugurada nesta quinta-feira já desperta expectativa positiva entre agricultores da região

A inauguração da Bunge em Pedro Afonso já gera expectativa positiva entre produtores rurais do Estado. O vice-presidente da Coapa – Cooperativa Agroindustrial de Pedro Afonso, João Damasceno de Sá Filho, disse que a instalação da indústria foi uma abertura para o desenvolvimento de uma nova prática agrícola na região: a produção de cana-de-açúcar. A região de Pedro Afonso é grande produtora de soja e outros grãos (como milho e sorgo) para o Tocantins e continuará sendo, pois a cana-de-açúcar pode ser plantada de forma intercalada aos grãos.

O agricultor Antônio Ignácio Barbosa, que já fornece cana-de-açúcar para a usina da Bunge, garante que o negócio está sendo promissor. “Atualmente produzimos cana em uma área de 900 hectares e a nossa previsão é de até quintuplicar nossa produção”, garantiu Ignácio. Outro produtor rural do município, Moacir Catabriza, já confirma a intenção de destinar parte de sua área agrícola para produzir cana-de-açúcar e ser um fornecedor da Bunge. “Agora, com a inauguração desse complexo industrial e de um mercado favorável, vejo que é o momento de produzir a cana-de-açúcar”, assegurou Moacir, que atualmente produz soja, sorgo e milho.

Assinatura de convênio

Durante o evento de inauguração da usina da Bunge de Pedro Afonso, as autoridades assinaram um protocolo de intenções para implementação de um convênio voltado para o desenvolvimento sustentável da região. Assinaram o documento o governador Siqueira Campos, o presidente da Bunge Brasil, Pedro Parente e os prefeitos José Júlio Eduardo Chagas (Pedro Afonso), Orlei Brito Alves (Tupirama) e Jairton Castro (Bom Jesus do Tocantins). Na ocasião o presidente da Bunge afirmou que a empresa é uma parceira do poder público para o desenvolvimento da região.

Bunge de Pedro Afonso

A construção da usina de Pedro Afonso teve início em janeiro de 2009 e, em julho de 2010, a unidade já havia iniciado a operação em caráter experimental. Desde maio deste ano, a usina está em plena atividade. O plantio do canavial teve início em julho de 2007, com um viveiro de mudas em 237 hectares. Hoje são mais de 24 mil hectares plantados e a projeção até 2012 é de atingir 32 mil hectares de cana-de-açúcar na região. Em parceria com centros de pesquisa, a Bunge se dedicou também à inovação ao desenvolver variedades de cana-de-açúcar específicas para o clima e o solo da região.

A usina Pedro Afonso terá capacidade para produzir 180 Gwh por ano de energia e, a partir de 2013, a unidade poderá contribuir para o fornecimento de energia elétrica do estado do Tocantins. Foram investidos mais de 20 milhões de dólares no processo de co-geração, que consiste na queima do bagaço da cana (resíduo da produção) para gerar energia elétrica. Uma parte desta energia será utilizada internamente para operar a usina, ou seja, a unidade é autosuficiente energeticamente. Outra parte poderá ser disponibilizada ao sistema elétrico nacional, com capacidade para abastecer uma cidade de até 300 mil habitantes.

Fonte: Secom