Palmas

Foto: Divulgação

Antes de partir em viagem para Buenos Aires, depois de seu pedido de licença de 10 dias, o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) tomou uma atitude que desagradou a diversos segmentos da sociedade de Palmas: assinou o decreto que aumenta a tarifa do transporte coletivo para R$ 2,50. Depois da atitude do prefeito, estudantes e população estão marcando manifestações e já disseram que pretendem entrar com ação contra o reajuste.

Na contramão do radicalismo estudantil, o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Henrique Lázaro Lopes Cardoso, informou que acredita que as justificativas da Prefeitura de Palmas para o aumento sejam plausíveis. Cardoso, no entanto frisou que ainda não teve acesso às planilhas de custos que levaram ao valor do reajuste, mas acredita na coerência do gestor. “Eu vejo que a nossa cidade está em fase de crescimento. Muitas vezes, a gente paga caro por esse crescimento”, completou.

Cardoso, como vice-presidente da Acipa, representa a classe empresarial de Palmas, que é a responsável por pagar os vale-transportes aos funcionários de suas respectivas empresas. Segundo ele, depois do reajuste confirmado, fica a critério de cada empresário adotar a melhor medida para amenizar o aumento nos custos. “Vai do empresário colocar esse aumento para a clientela, ou não”, disse.

O vice-presidente da associação é o proprietário de uma das maiores empresas de lavajato de Palmas, com 78 funcionários. Segundo Henrique, esse reajuste irá gerar um aumento de cerca de 7% a 8% nos gastos da empresa. Contudo, como empresário, ele frisou que não pretende repassar esses gastos para seus consumidores. “Vamos ter que diminuir nossa margem de lucro. Eu não gostaria que aumentasse o preço da lavagem de um carro por conta de aumento na tarifa de transporte”, frisou.

Manifestações

Avessos à opinião do empresariado, os estudantes já garantiram que irão entrar com ação judicial contra o reajuste na passagem. A expectativa é que eles façam manifestação contra o aumento ainda hoje, durante a Marcha da Liberdade, que sairá da Praça dos Girassois às 16h.