Campo

Foto: Divulgação

No Dia da Agricultura, o setor agrícola tocantinense recebe com festa a instalação da primeira esmagadora de soja da Granol, no município de Arguianópolis, no norte do Estado. O início das obras foi lançado oficialmente, na manhã da quinta-feira, 28, no loteamento Estreito do Pátio da Ferrovia Norte-Sul, com a presença do governador Siqueira Campos, senador Vicentinho Alves, deputados, secretários de governo, prefeitos e vereadores da região, diretores e funcionários da empresa.

Para o secretário da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Jaime Café, que também prestigiou o evento, o Tocantins ganha muito com esse empreendimento totalmente brasileiro. “Além de estimular o crescimento da produção, a gente vê a instalação agregando valor aos produtos tocantinenses e oportunizará custo menor nos subprodutos, ampliando as áreas de cultivo”, destacou.

O governador Siqueira Campos destacou o potencial produtivo do Estado. “Temos condições de alimentar não só o Brasil, mas o mundo. Precisamos construir, todos juntos, uma economia de prosperidade, em benefícios de todos. E é isso que a Granol vem fazer no Tocantins: acabar com as terras e os braços ociosos, com ações de produção sustentável e a preocupação com o contexto humano”, elogiou.

A empresa, de capital totalmente nacional, está no mercado desde 1965, com instalações em oito estados brasileiros, com cinco complexos industriais e duas usinas de biodiesel, com produção anual de mais de dois milhões de toneladas em grãos esmagados e mais de 600 mil toneladas de biodiesel. Possui cerca de dois mil funcionários e seis mil clientes ativos. Atualmente compra mais de 75 mil toneladas de soja tocantinense, o que representa em torno de 10% da produção no Estado.

O diretor presidente da Granol, Juan Diego Ferrés, destacou o local que está sendo instalado o complexo agroindustrial do Tocantins como estratégico para escoamento da produção de soja, conhecido como corredor Centro-Norte do País, fator de integração regional e inserção global com as ferrovias Norte-Sul e Oeste-Leste, as rodovias e futuramente a hidrovia, ligando os portos de São Luís (MA) e Belém (PA).

“Visualizamos futuramente um modelo de intermodal de logística. E a Granol encontrou conforto em se instalar no Estado devido o compromisso e seriedade do Governador Siqueira Campos, temos a convicção de um futuro promissor de investimentos na produção de biodiesel”, reforçou Ferres.

De acordo com o presidente, a Granol irá disponibilizar para o produtor assistência técnica gratuita, compra garantida da produção, acesso facilitado a linhas de créditos disponíveis para os setores, entre outros benefícios.

Complexo agroindustrial do Tocantins

Com capacidade total de produção de duas mil toneladas de grãos por dia, a primeira etapa será concluída em três anos e abrange o funcionamento inicial de esmagadora, com mais de 200 empregos diretos e imediatos. A segunda compreenderá a verticalização da produção com a produção de óleos alimentícios e também de biodiesel. A terceira focará no aumento da capacidade de produção para quatro mil t/dia, instalação de fábrica de embalagens e atuar na diversificação de culturas.

A empresa irá desenvolver a produção de todo o Estado, especialmente a região Norte. No total serão investidos cerca de R$ 380 milhões nas três fases, gerando cerca de 600 empregos diretos e três mil indiretos. A empresa pretende ainda desenvolver ações de incentivos para os produtores rurais abastecerem a esmagadora e capacitar mão-de-obra local.

Além da esmagadora em Arguianópolis, a Granol pretende instalar outras unidades de recolhimento e armazenamento dos grãos em Figueirópolis, Guaraí, Porto Nacional, Dianópolis e Campos Lindos. (Ascom Seagro)