Polí­tica

Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa retornou os trabalhos anunciando modernidade em alguns pontos da Casa o principal deles é um painel que foi adquirido no valor de R$ 340 mil, como divulgou a instituição.

O tucano Raimundo Moreira, que preside a Casa desde o início da atual legislatura, começou a gestão pregando equilíbrio nos gastos e fez inclusive demissões de servidores comissionados.

Mas segundo os dados do Portal da Transparência apenas no mês passado Moreira gastou menos que a gestão anterior que tinha à frente o peemedebista Júnior Coimbra. Moreira gastou em julho R$ 7.550.035,32 enquanto o ex-presidente teve gastos no mesmo período do ano passado no valor de R$ 7.595.016,25.

Em julho apenas com auxílio alimentação dos servidores a Assembleia pagou R$ 900.784,54. Com crédito consignado foram mais de R$ 181.947,20.Os valores mensais envolvem todas as despesas da Casa.

Os vencimentos dos parlamentares variaram em julho de acordo com descontos e outras operações. José Geraldo (PTB) foi quem recebeu mais, conforme o portal cerca de R$ 33.658,56.. O menor vencimento no mês como consta nas despesas detalhadas foi do vice-presidente da Casa, Eli Borges (PMDB) que recebeu R$ 12.982,57.

Outros meses

A redução nas contas da Casa com relação à gestão passada não aconteceu nos meses de junho, maio abril e março quando a gestão de Moreira gastou mais que a de Coimbra.Em junho foram despesas de R$ 7.627.028,97 este ano e R$ 7.590.520,29 em 2010.

Em maio Coimbra gastou R$ 7.154.075,21 e Moreira este ano R$ 7.663,897,06. Já em Abril as despesas de ambas gestões caíram para a casa dos R$ 6 milhões sendo Coimbra com gasto total de R$ 6.925.578,53 e Moreira com R$ 6.978.060,34.

A diferença de gastos mensais entre as duas gestões foi mais significativa em março quando Moreira gastou R$ 15.600.042,83 e Coimbra R$ 10.237.604,38.