Economia

Foto: Divulgação

Há semanas crescem os rumores de que o Capim Dourado Shopping teria sido vendido pelo Grupo Skipton, que administra atualmente o empreendimento.

O presidente do Grupo Skipton, Carlos Amastha afirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 3, que existem três grupos interessados na compra do shopping, mas até o momento ele não pretende vender.

“Tem três grupos querendo o shopping mas eu não quero vender”, salientou. No entanto, não está descartada a possibilidade de venda, segundo o empresário. “Se me fizerem uma proposta econômica acima do que eu acho que vale é claro que eu vou vender”, pontuou o empresário.

O shopping, que conta com marcas nacionais como Centauro, Marisa, Riachuelo, Lojas Renner e ainda com a Rede Cinemark, completa um ano de inauguração no dia 17 de agosto. Segundo Amastha, esse ano com as obras de complemento e a construção das salas de cinema o investimento no empreendimento já soma cerca de R$ 20 milhões.

As obras tiveram início em 20 de dezembro de 2007, ao todo a área do empreendimento é de 98.340,95 m². O investimento foi de mais R$ 200 milhões sendo R$ 80 milhões de lojistas e R$ 140 milhões do empreendedor. A previsão inicial de movimentação financeira no primeiro ano de funcionamento é de cerca de R$ 17 milhões/mês. A Assessoria do shopping divulgou que no sexto mês de funcionamento o volume de vendas foi de R$ 52.840.000,00.

Parque Borboleta Azul

Em fevereiro deste ano foi aprovado por unanimidade na Câmara de Palmas um requerimento do vereador petista, Bismarque do Movimento, convocando Amastha para prestar esclarecimentos sobre a não construção Parque Borboleta Azul que deverá ter 160 mil metros quadrados.

A Prefeitura de Palmas doou 38 mil metros quadrados de área verde e o Estado 50 mil metros quadrados para a construção do shopping e em contrapartida a compensação ambiental com a construção do empreendimento seria a construção do Parque. Os parlamentares propuseram inclusive o cancelamento do Alvará do funcionamento do shopping.

Questionado sobre o assunto nesta quarta-feira o empresário afirmou que está sendo cobrado por pessoas que não tem conhecimento de causa. Sem adiantar explicações, Amastha afirmou que fará uma entrevista coletiva para apresentar documentos e tratar do assunto.

Articulações políticas

O empresário continua promovendo encontros políticos e discussões para o pleito do próximo ano segundo ele com a intenção principal de “levantar o nível do debate”. (Atualizada às 11h15)