Polí­tica

Foto: Divulgação

A Câmara de Palmas ainda tem em seus quadros servidores que são ligados ao deputado estadual e ex-vereador Wanderlei Barbosa (PSB). O deputado confirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 8, informações de fontes que apontam a permanência de pessoas ligadas ao ex-presidente ainda lotados na Câmara.

“Eu sempre tive pessoas ligadas na Câmara. São pessoas que estão à disposição da Casa e da presidência”, admitiu o deputado. No entanto, segundo informações verificadas pelo Conexão Tocantins, a maioria dessas pessoas não comparecem na Casa todos os dias.

“A mesa diretora utiliza a mão-de-obra da maneira que acham melhor”, frisou o deputado As pessoas ligadas a Wanderlei foram indicadas por ele ainda quando era presidente da casa e a permanência delas é parte de acordo político feito com o atual presidente, Ivory de Lira (PT), que foi eleito com apoio de Wanderlei.

“Eu votei em Ivory para presidente. Não é porque eu saí que vou pedir para demitir as pessoas”, pontuou o deputado. Questionado sobre a quantidade de pessoas indicadas na Casa o deputado não soube precisar o número exato. “Eu imagino que sejam umas seis ou sete pessoas que eu tenho lá dentro”, frisou.

Funcionalismo

Além das pessoas ligadas ao ex-presidente, que, segundo ele, estariam trabalhando, há outras suspeitas de servidores fantasmas na Câmara. Procurado pelo Conexão Tocantins, o diretor de Recursos Humanos da Câmara, Joadson Soares afirmou que é difícil precisar exatamente quantos servidores a instituição tem atualmente. “Tem mês que é mais que os outros”, frisou. São aproximadamente 400 servidores na Casa, segundo ele.

Nos gabinetes dos vereadores são no máximo 30 funcionários. O diretor afirmou que a frequência é controlada por cada departamento. No entanto como a equipe do Conexão Tocantins verificou hoje as frequências não são assinadas diariamente. Nesta segunda-feira vários servidores da Casa assinaram frequências pendentes de meses anteriores.

Relatos

Vários servidores ouvidos pelo Conexão Tocantins relataram a existência de servidores que recebem sem trabalhar na Casa em quase todos os setores. Conforme os relatos, tais funcionários só vão à Câmara uma vez por mês quando são chamados para assinar as frequências.

Atualizada às 15h26