Palmas

Foto: Divulgação

O ex-prefeito de Palmas, Odir Rocha, foi declarado inocente das acusações de crimes de peculato que ocorreram em 1997 e 1998 por falta de provas. As irregularidades teriam acontecido segundo a denúncia, na execução dos convênios nº 1.720/98 e nº 153/97.

Um convênio questionado pela justiça foi firmado entre o Município de Palmas e o Ministério da Saúde e visava a aquisição de equipamentos e mobiliário para o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e o outro alvo foi o convênio feito entre a prefeitura e o Ministério da Cultura que objetivava o equipamento e instrumentalização do Espaço Cultural de Palmas.

Os empresários Georgios Filipakis e Osmar Lucena Neto, e o servidor da Prefeitura de Palmas, Vicente Santana Sampaio também foram absolvidos. Já a ex-secretária de Administração da Prefeitura de Palmas, Ednéia Alves de Castro foi condenada a cinco anos e quatro meses de reclusão e à pena de multa de 133 dias-multa.

Em entrevista ao Conexão Tocantins o ex-prefeito frisou que não vai comemorar a decisão. “Recebi a notícia através da imprensa com tranquilidade”, frisou.

Decepcionado com o tempo que o processo se arrastou na justiça o ex-prefeito disse que o mais importante é que não perdeu sua dignidade. “O duro é passar 13 e 14 anos sofrendo e passando vergonha. Não vou comemorar não. Eu nunca entendi o que estava acontecendo com essas ações falsas”, afirmou.

Sem filiação partidária desde 2003, o ex-prefeito disse que nunca mais quer se envolver em política e nem sabe se vai votar nos próximos pleitos. “Eu tenho a maior decepção com a política do Tocantins a coisa aqui é muito diferente, muita perseguição muita traição. Não quero nem passar perto, não quero cargo não quero nada”, desabafou.

Atualmente Odir Rocha vive de sua aposentadoria de médico. O ex-prefeito é também poeta e contista, membro da Academia Palmense de Letras(APL), da Academia Tocantinense de Letras(ATL),Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (SOBRAMES)- Palmas -Tocantins. Já publicou as obras: Do amor à Terra (poemas), Auscultando a Vida (contos), Terracanto (poemas), Caminhada (no prelo). Odir foi um dos homenageados no Salão do Livro na edição de 2010.

Rocha foi homenageado pela atual gestão da prefeitura que deu seu nome ao auditório da Escola Jorge Amado. Além de ter sido prefeito, Odir Rocha já foi secretário de saúde e de Cultura da capital.