Campo

Foto: Divulgação

A Via Campesina Tocantins ocupou nessa terça-feira, 30, as unidades do Incra nas cidades de Araguaína e Araguatins. Estão envolvidas na ação 300 famílias em Araguaína e 200 em Araguatins, com o objetivo de cobrar do órgão federal a pauta apresentada na Jornada de Lutas do mês de abril.

Segundo o coordenador estadual do MST, Daniel Souza Lima, não foram feitas as vistorias das áreas, as desapropriações dos latifúndios e a implementação dos assentamentos.

O coordenador do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Cirineu da Rocha, disse que a participação do Movimento é no intuito de cobrar do Incra as vistorias das áreas para assentar as famílias atingidas pela Hidrelétrica de Estreito, estas que já foram cadastradas e ainda continuam esperando a terra.

O membro da coordenação nacional do MST, Antônio Marcos, afirmou que as unidades do Incra continuarão ocupadas até que a pauta das famílias sem terra seja atendida e exige a presença do superintendente do órgão nas unidades. (Ascom/MST)