Polí­tica

Foto: Divulgação

Depois da sessão ordinária da manhã desta quarta-feira, 31, na Assembleia Legislativa, um grupo de cerca de 100 funcionários das instituições federais de ensino do Tocantins estiveram em reunião com alguns dos deputados estaduais. O objetivo do grupo era pedir aos parlamentares que interviessem junto à bancada federal do Tocantins para conseguirem apoio às suas reivindicações. Os professores e técnicos administrativos do Tocantins estão paralisados a cerca de 90 dias.

De acordo com Miguel Lima, um dos líderes da greve, o governo tem tratado a paralisação dos profissionais da educação superior de maneira inadequada e com ações inesperadas. “Pela primeira vez, foi ajuizada uma ação contra a greve. E foi de forma arbitrária, por que a Advocacia Geral da União entrou com a ação sem que as direções estaduais dos sindicatos fossem avisadas”, disse.

Lima ainda destacou que o movimento tem enfrentado dificuldades para marcar audiência com o secretário do Ministério do Planejamento e negociar os termos da greve. De acordo com ele, a principal justificativa que os grevistas tem recebido em Brasília é que “servidor em greve não senta à mesa com ele”.

Dentre as principais reivindicações do movimento grevista das unidades federais de ensino estão o reajuste emergencial de 14,67%, referentes ao reajuste da inflação mais o IPCA e a variação do PIB; destinação de 10% do Produto Interno Público para a educação pública; reestruturação da carreira de professor; manutenção e ampliação dos concursos públicos para professores e técnicos administrativos das entidades federais de ensino; 30h semanais de trabalho para os técnicos administrativos e implantação de auxílios como de saúde, pré-escolar e maternidade.

Depois de ouvirem as reivindicações dos servidores federais, os deputados se comprometeram a criar um grupo de ação para ir à Brasília e discutir o assunto juntamente com a bancada do Tocantins no Congresso. A deputada Josi Nunes (PMDB) frisou que a intenção é conversar com deputados, senadores e ministros na tentativa de sensibilizar os políticos quanto à causa dos servidores. “Vamos criar um grupo para marcar as audiências em Brasília”, disse.

Já o deputado Marcelo Lelis (PV) sugeriu que seja feito um requerimento em regime de urgência para ser apresentado ainda na sessão desta tarde, para que o pedido de apoio à bancada federal do Tocantins seja oficializado.