Polí­tica

Foto: Valmir Araújo

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã deste sábado, 3, o presidente regional do Partido dos Trabalhadores, Donizeti Nogueira, informou que a meta do PT para este segundo semestre é voltar o foco totalmente para a campanha eleitoral de 2012. Com isso, segundo Nogueira, o Partido não pretende realizar eleições para o Diretório Metropolitano petista até o final do processo eleitoral do ano que vem.

Sem eleição para formalizar um diretório municipal do PT em Palmas, quem fica responsável pelas decisões partidárias na capital, ainda é a comissão provisória, dirigida por Divino Mariozan. “A direção é a comissão provisória. Não vamos mudar essa questão. Queremos ampliar essa direção no próximo período, mas não estamos pensando em fazer uma eleição interna no PT”, completou.

Aproximação com Raul

Depois de quase um ano de rusgas e disputas internas que quase levaram à punição do prefeito de Palmas Raul Filho (PT) e da deputada estadual Solange Duailibe (PT), o presidente da sigla convidou o gestor da capital para coordenar a campanha eleitoral em Palmas no ano que vem. No entanto, segundo Donizeti, ainda não teve resposta. “O que a direção estadual fez, em conjunto com a municipal, foi convidar o prefeito Raul para coordenar o processo eleitoral em Palmas. Mas ainda estamos esperando a resposta”, disse.

Aproximação de Amastha

Um fato que tem chamado a atenção da mídia e do eleitorado palmense nos últimos tempos foi a aproximação de Donizeti Nogueira ao empresário naturalizado brasileiro, Carlos Amastha, que deixou o PV no mês passado e ainda está sem partido. No entanto, o presidente do PT frisou que é preciso separar sua relação pessoal com o empresário, da sua relação política com o grupo suprapartidário criado por Amastha. “Eu tenho uma amizade com o Carlos Amastha. Uma coisa não mistura com a outra”, completou.

No entanto, o presidente não descarta uma possível filiação do empresário ao Partido dos Trabalhadores. “No PT temos toda a vontade de tê-lo nos quadros do Partido. Mas para uma possível candidatura, ainda é preciso discutir”, informou. Contudo frisou que essa é uma definição que não cabe a ele. “Eu não discuto uma candidatura a prefeito, pois isso é uma questão do diretório municipal”, frisou.

Atualmente, o empresário está à frente de um grupo suprapartidário batizado recentemente de Palmas de Coração que conta com dirigentes e representantes de diversas frentes partidárias.