Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

A remuneração dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias foi tema de um seminário realizado na manhã desta segunda-feira, dia 12, no auditório da Assembleia Legislativa. A categoria reivindica um piso salarial de R$ 1.090,00, conforme prevê um projeto de lei em tramitação no Senado. O evento, encabeçado pela Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (CONACS), teve sua edição estadual proposta pelo deputado federal Angelo Agnolin (PDT) e contou com o apoio dos deputados estaduais, representados na ocasião pelo vice-presidente da Casa, Eli Borges (PMDB).

“Vamos trabalhar em conjunto com todas as bancadas para aumentar os valores do orçamento do estado e atender esse importante setor da nossa sociedade”, disse Eli. Segundo o parlamentar, trata-se de defender os interesses salariais de uma categoria responsável por um trabalho nobre e grandioso para a melhoria da saúde das populações mais humildes.

De acordo com o agente de saúde Benedito Moura Medeiros, da cidade de Pedro Afonso, a reivindicação salarial da classe é necessária pois atualmente o piso é de apenas R$ 750,00. Medeiros destaca também que é importante para a qualidade e a eficiência do trabalho dos agentes de saúde a melhoria das condições de trabalho e a realização de cursos de qualificação.

O auditório da Assembleia ficou lotado de representantes dos agentes de diversos municípios tocantinenses, além de prefeitos, vereadores e secretários da saúde de várias cidades. Também marcaram presença a vice-prefeita de Palmas, Edna Agnolin (PDT), o vereador de Palmas, Bismarque do Movimento (PT), e o presidente da Associação dos Agentes de Saúde e Combate às Endemias do Tocantins (Atacom), Florisval Pereira da Silva. (Dicom/AL)