Polí­tica

Foto: Divulgação

A deputada federal Dorinha Seabra Rezende (DEM/TO) participou nesta quinta-feira, 15, do Seminário “Quilombo Vivo: Promover e proteger o patrimônio cultural quilombola”, promovido pela Fundação Palmares e pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados. Para Dorinha o valor cultural dos remanescentes de quilombos é “incomensurável e deve ser preservado, sendo um dever do Estado para com o patrimônio cultural do país”.

Segundo representantes da Fundação Palmares, existem 1711 comunidades remanescentes de quilombos espalhadas pelo país e que necessitam de atenção. O objetivo da entidade é lançar em outubro uma iniciativa para promover a cultura quilombola em todo o País, através do projeto “Quilombo Cultural”. Serão criadas ações que estimulem o empreendedorismo nas comunidades quilombolas, como restaurantes e pousadas, que darão condição de emancipação da comunidade do ponto de vista econômico.

“O Tocantins possui comunidades quilombolas com uma rica cultura secular, consolidada através dos anos. Em diversas regiões do estado temos um potencial empreendedor a ser explorado e que iremos buscar recurso para garantir a sustentabilidade destas pessoas que tem no sangue um passado de luta pela liberdade e dignidade”, disse professora Dorinha durante o seminário.

Segundo o presidente da instituição, vinculada ao Ministério da Cultura, Eloi de Araújo, o “Quilombo Cultural” quer traduzir as ideias de manifestações culturais que os quilombos têm em benefícios econômicos.

No Tocantins

Nos últimos anos, a Fundação Cultural Palmares reconheceu 16 comunidades quilombolas no Tocantins, que são: São José e Chapada de Natividade, em Chapada de Natividade; Córrego Fundo e Malhadinha, em Brejinho de Nazaré; Mumbuca, em Mateiros; Povoado do Prata, em São Felix do Tocantins; Redenção, em Natividade; São Joaquim e Laginha , em Porto Alegre do Tocantins; Barra do Aroeira, em Santa Tereza do Tocantins; Morro de São João, em Santa Rosa do Tocantins; Mimoso e Lago da Pedra, em Arraias; Cocalinho, em Santa Fé do Araguaia; Baviera, em Aragominas; e Grotão, em Filadélfia. (Assessoria de Imprensa Dorinha Seabra)