Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante a sessão da manhã desta terça-feira, 20, na Assembleia Legislativa do Tocantins, a deputada Solange Duailibe (PT) criticou a atual relação entre o governo do Estado e a Organização Jaime Câmara. As críticas da deputada partiram depois de matéria veiculada no Jornal do Tocantins na qual dizia que a polícia, mesmo depois de determinação do Ministério Público Estadual ainda não havia aberto inquérito para investigar irregularidades na gestão do prefeito Raul Filho (PT).

Em tom bastante áspero, a deputada lembrou do programa Agenda Tocantins, na qual a Secretaria Estadual do Planejamento e Modernização da Gestão firmou parceria com a empresa de comunicação para prestação de serviços de divulgação e cerimonial do programa. “No Tocantins, o secretário do Planejamento (Eduardo Siqueira Campos), que parece que não quer trabalhar, passou a responsabilidade para a Jaime Câmara”, disse.

A parceria, de cerca de R$ 2,2 milhões, ainda gerou mais críticas da deputada contra a relação entre o governo e a OJC. De acordo com ela, por conta do acordo, foram deixadas de serem divulgadas pelos veículos da organização, denúncias contra o Governo do Estado, como a contratação de serviços de táxi aéreo sem licitação e a compra dos helicópteros pelo governo do Estado. “Isso sim é o que a Jaime Câmara deveria estar preocupada, mas se cala. E por que? Porque tem o Agenda Tocantins”, completou.

Fogo em Lelis

Depois, a deputada virou sua artilharia para Marcelo Lelis (PV) que, no último mês, moveu ação contra o aumento da tarifa do transporte coletivo de Palmas. Na ocasião, depois de decisão judicial, uma liminar cancelou o reajuste proposto pela empresa Miracema e aprovado pela prefeitura.

Questionando a iniciativa e críticas do deputado do PV, Solange frisou que Lelis deveria ter feito a mesma coisa quando a Celtins propôs e o governo aprovou o aumento nas tarifas de energia elétrica, no princípio do ano. “Isso iria contemplar não somente Palmas, mas todo o Tocantins”, frisou.

A deputada ainda aproveitou a oportunidade para questionar a postura do deputado como membro da base governista. De acordo com ela, mesmo com a aproximação com o governador Siqueira Campos e com a expressiva votação em Palmas na eleição do ano passado, Lelis ainda não conseguiu subsídios junto à administração estadual para melhorias no transporte público da capital. “Temos aqui um deputado com uma grande votação em Palmas e aliado ao governador que até agora não conseguiu subsídios para o transporte de Palmas”, completou.