Estado

Foto: Divulgação

Para quem justifica o sedentarismo com a falta de condições para pagar uma academia ou mesmo para contratar a orientação de um profissional de educação física, o Serviço Social da Indústria – SESI Tocantins oferece uma nova alternativa. Foi lançado na noite desta terça, 20, e será realizado às terças e quintas, de 18:30 às 20:30, na Praça dos Girassóis, o Projeto 10.000 Passos Por Uma Vida Saudável que objetiva a formação de grupos de trabalhadores para a prática de exercícios físicos regulares em espaços públicos como corrida, caminhada, passeio ciclístico, enduro a pé, dentre outras, com o auxílio e avaliação de profissionais de educação física do SESI. As atividades serão oferecidas gratuitamente e serão estendidas às unidades do SESI de Gurupi e Araguaína que lançam o projeto nos próximos dias 26 e 30 de setembro, respectivamente.

No lançamento, foi feita breve apresentação do projeto pelo professor de educação física do SESI que coordena as atividades, Marcelo Gama. O coordenador explicou que será disponibilizado um profissional e dois estagiários para a realização das atividades. Para começar, foi feito aquecimento e alongamento para então ser realizada a primeira caminhada. Ao final, foi oferecida massagem relaxante e frutas aos participantes.

“O que nós queremos agora, a partir da repercussão e das pessoas que participaram do lançamento, é formar os grupos e fazer as medições e acompanhamento do desempenho e evolução dos participantes já na próxima quinta-feira. A ideia é criar o hábito nestas pessoas e com tempo possibilitar que o próprio participante crie autonomia e vá fazendo a sua programação de caminhada”, explicou o gerente da Unidade SESI de Palmas, Edson Cabral.

Já no lançamento, o projeto foi aprovado pela colaboradora da Celtins, Adriane Rodrigues, que já fazia caminhadas na Praça dos Girassóis, soube da atividade durante a ginástica na empresa do SESI, e aceitou o convite por considerar que “fazer caminhada com acompanhamento é bem melhor”. Junto com seu casal de filhos garantiu que continuará participando das atividades. “Eu espero proporcionar mais qualidade de vida pra mim e, principalmente, para os meus filhos que são minha maior preocupação. Nós viremos todas as terças e quintas”, assegurou.

A atividade é aberta a toda sociedade e a expectativa é cadastrar de 300 a 500 pessoas para a realização do acompanhamento e monitoramento do desenvolvimento físico dos participantes durante os 18 meses do projeto.

“Em seu trabalho de defesa dos interesses da indústria, o Sistema FIETO atua na promoção da saúde e qualidade de vida do industriário e seus familiares por acreditar que o desenvolvimento industrial também depende de trabalhadores dispostos e que a qualidade de vida destes interfere diretamente na produtividade”, disse o chefe de gabinete da presidência do Sistema FIETO, José Roberto Fernandes, que compareceu ao evento representando o presidente Roberto Pires. (Ascom /Fieto)