Estado

Foto: Divulgação

O Governo do Estado por meio da Setas - Secretaria Estadual do Trabalho e da Assistência Social atendeu 47 famílias em extrema pobreza do Povoado Boa Esperança pertencente ao município de Mateiros na região do Jalapão, nesta terça-feira, 20. Foram entregues 160 cestas básicas do Programa Tocantins sem Fome as comunidades remanescentes de quilombolas. Devido a dificuldade de acesso à região a entrega foi feita pelo helicóptero da Polícia Militar.

Segundo o secretário da Setas, Agimiro Costa, o governador Siqueira Campos determinou que seja dada continuidade aos atendimentos emergenciais no Estado e completa: “Comunidades como essa no Jalapão estão encontrando dificuldades na produção de seu próprio alimento. E por habitarem em regiões de difícil acesso faz-se necessária a intervenção do Estado”.

O povoado de Boa Esperança concentra 92 famílias em um raio de 8 km, todas dependentes da agricultura de subsistência. De acordo com Antônio Alves da Silva, presidente da Associação das Comunidades Quilombolas: Carrapato, Mata, Formiga e Ambrósio, o povoado está localizado em uma APA – Área de Proteção Ambiental, e nessas áreas não é permitido o cultivo nas várzeas, o que tem dificultado o sustento das famílias. “O solo dessa região não é fértil, o único lugar que produz alguma coisa é próximo aos rios, mas nessas área eles não podem plantar”, explicou.

Segundo o secretário Agimiro Costa além da entrega de cestas básicas as ações do Tocantins sem Fome prevê a melhoria das estradas, pontes e vias de acesso, e a construção de um poço artesiano em cada uma das comunidades isoladas.

Para a agricultora Laurinda Dias, mãe de nove crianças, a ajuda veio na hora certa. “Aqui quase todo mundo trabalha na roça, plantamos mandioca, feijão e milho, mas dá muito pouco porque a terra é fraca, por isso agradecemos muito essa ajuda”, declarou. Já Dilma Gomes Batista, 20 anos, com quatro filhos, explica que a cesta vai suprir justamente os alimentos de mais difícil acesso para as famílias do povoado: “óleo, açúcar, arroz e frango são muito caros para nós, então, é uma ajuda muito boa”. Explica a moradora.

Na próxima quarta-feira, 28, as aldeias dos índios Xerentes na Região de Tocantínia, também devem receber cestas de alimentos do governo do Estado, lá foi constatado estado de desnutrição das famílias. Serão atendidos com 650 cestas básicas. Equipes do Governo realizam o mapeamento em outras comunidades indígenas e a próxima a ser atendida deve ser as comunidades da etnia Apinajé, em Tocantinópolis, extremo Norte do Estado. (Ascom Setas)