Educação

Foto: Elias Oliveira Projeto começou nesta quinta com uma oficina Projeto começou nesta quinta com uma oficina

O projeto é uma iniciativa do Sebrae e foi criado há mais de 10 anos com o objetivo de despertar características empreendedoras desde a infância. Para isso, conta, no Tocantins, com a parceria da Secretaria Estadual da Educação (Seduc). Pioneiro na região Norte, o programa será implantado nas turmas de Ensino Fundamental, do 1° ao 9° ano, em quatro escolas de Palmas: Escola Estadual Santa Fé, Escola Estadual Vila União, Colégio Estadual Criança Esperança e Escola Estadual Vale do Sol.

As atividades do Projeto Jovem Empreendedor (PJEE) começaram nesta quinta, 29, no Hotel Pousada das Artes, com a oficina de sensibilização para os professores envolvidos na implantação dentro das unidades escolares. “Neste primeiro momento o Sebrae está apresentando o projeto para que os professores conheçam melhor, podendo optar por participar, ou não. É preciso primeiro que eles se identifiquem com a metodologia para que possam depois desenvolver as ações com os alunos”, explica Sandra Neves, coordenadora de Programas e Projetos do Ensino Fundamental da Seduc. Segundo ela, entre os principais benefícios do PJEE está a mudança de comportamento dos alunos em relação ao futuro dos mesmos. “De fato, muito dos nossos jovens estão sem perspectiva de futuro e com esse projeto vamos ajudá-los a ter essa atitude empreendedora, difundindo esta cultura desde o 1º ano do Ensino Fundamental”.

O PJEE deve ser iniciado nas escolas da rede estadual ainda este semestre, mas antes os professores passarão por um curso ministrado por consultores do Sebrae de São Paulo. A capacitação começa já na próxima segunda, 03, no Centro de Educação Empresarial do Sebrae, e se estende até o dia 08 de outubro.

Projeto Piloto

Luciana Retes, responsável pelo setor de Educação do Sebrae, conta que os professores do Estado auxiliarão no fechamento do material do PJEE, que será utilizado em todo o país. “O projeto passou por uma adequação de metodologia e agora, o Sebrae e os educadores do Tocantins, vão validar esse material com críticas e sugestões, verificando a aplicabilidade do que nos foi proposto. A partir daí, o material será finalizado e distribuído para todo o Brasil.

O método sugere que temas ligados ao empreendedorismo, como cooperativismo, inovação e ecossustentabilidade, sejam trabalhados desde o 1º Ano do Ensino Fundamental, com os estudantes de 6 e 7 anos. Cada ciclo do programa deve durar seis meses com um tema específico para cada ano letivo, adequado à faixa etária correspondente. “O objetivo é orientar os alunos para desenvolverem características empreendedoras para a vida, e não necessariamente para que abram um negócio”, explica Luciana.

Além das unidades de Palmas, escolas estaduais de outros municípios também vão receber o programa, entre elas, Araguaína e Gurupi. A meta da Seduc é atingir 5 mil estudantes.(Ascom Seduc)