Economia

Foto: Josias Siqueira

A Foz do Brasil anuncia a participação no bloco privado da Saneatins (Companhia de Saneamento do Tocantins), que equivale a 76,52% das ações da empresa. O governo de Tocantins continua com 23,48% de participação. Com a operação, A Foz do Brasil, presente em seis estado do País, marca sua chegada à região Norte e fortalece a Saneatins para promover a universalização do fornecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos.

Os termos da negociação determinam que, em troca da entrada na participação, a Foz fará um aporte de R$ 200 milhões na operação da Saneatins. Toda a composição acionária privada da Saneatins (76,52% do total) será transferida da Empresa Sul Americana de Montagens (Emsa), grupo familiar de Goiás, para a recém-criada Foz Centro Norte - de composição societária igual entre Foz e Emsa, cujo diretor- presidente será o engenheiro Mario Amaro da Silveira.

“Trata-se de um negócio de longo prazo que traz inúmeros benefícios para o Tocantins, pois a Saneatins incrementa seu plano de investimentos de R$ 700 milhões e acelera a universalização dos serviços de água e esgoto no Estado, além de permitir o desenvolvimento de novos mercados da região”, destaca o novo diretor-presidente da Saneatins, Mário Amaro.

A empresa

A Saneatins foi fundada em 1989, após a criação do Estado do Tocantins e o consequente desmembramento da Companhia de Saneamento de Goiás – Saneago. Com o objetivo de desenvolver os serviços de saneamento no novo Estado, em 1998 o Governo do Tocantins buscou uma parceria societária estratégica com a iniciativa privada, tornando a Saneatins uma empresa com gestão privada. A iniciativa conferiu mais dinamismo e capacidade de investimentos à empresa, resultando em serviços de qualidade à população do Tocantins. Agora, com a participação da Foz do Brasil e do FI FGTS (Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço), que também passa a compor o bloco privado da empresa, a Saneatins tem a perspectiva de ser o primeiro estado do país a ter o serviço de esgoto universalizado.

Atualmente, a Saneatins opera 125 municípios do Tocantins e cinco do Pará, somando uma população urbana de aproximadamente 1 milhão de habitantes. A empresa já oferece água para 92% das residências e os serviços de coleta dos esgotos chegam a 19% da população.

Ao todo a empresa conta com 1.186 colaboradores. “Como as perspectivas são de expansão, o quadro de funcionários, que é o grande ativo da empresa, será mantido”, diz Annibal Crosara Júnior, presidente do Conselho de Administração da Saneatins, que permanece no cargo.

“A participação da Organização Odebrecht, por meio da Foz do Brasil na Saneatins, é uma demonstração de que o modelo de atuação da empresa, que conjuga os setores públicos e o privado, é uma das alternativas para o avanço do saneamento no país”, diz o governador do Tocantins, Siqueira Campos, ressaltando que “saneamento básico é saúde preventiva”.

Para Eduardo Siqueira Campos, da secretario estadual do Planejamento e da Modernização da Gestão Pública (SEPLAM), a entrada da Foz do Brasil e do FI FGTS na Saneatins vai garantir mais investimentos em saneamento em todos os municípios Tocantinenses. “Em seis anos a Saneatins investirá R$ 700 milhões, o que é mais de cem milhões por ano. Isto vai garantir que o Tocantins em breve seja alçado ao posto de primeiro Estado brasileiro a ter 100% de saneamento”, afirma o secretário.

A operação marca também a entrada da Foz do Brasil na região Norte do País. Hoje, a Foz do Brasil beneficia diretamente cerca de 5 milhões de pessoas, promovendo a universalização dos serviços de água e esgoto em seis estados. A Foz do Brasil atua também em parceira com companhias estaduais, como a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), a Embasa (Empresa Baiana de Água e Esgoto) e a Cesan (Companhia Espírito Santense de Saneamento), em projetos de água para a população e uso industrial.

“A Saneatins é uma das companhias de saneamento mais dinâmicas que temos no país e isso se deve, em especial, ao modelo de negócios da empresa, que possibilita a participação de players como a Foz do Brasil e o FI FGTS, que têm visão de longo prazo e podem acelerar o plano de investimentos da companhia”, afirma Crosara.

Sobre a Foz do Brasil

Criada em 2008, a Foz do Brasil tem como objetivo investir na realização de projetos ambientais com foco em três segmentos: Água – concessões públicas de saneamento básico; Indústriaterceirização de Centrais de Utilidades; eAmbiental – diagnóstico e remediação de áreas contaminadas, monitoramento de águas superficiais e subterrâneas, e valorização energética dos resíduos sólidos urbanos. A Foz do Brasil, que tem participação acionária do FI FGTS, opera 19 ativos que garantem a melhoria da qualidade de vida 5 milhões de pessoas e o desenvolvimento de empresas que têm a sustentabilidade na base das suas ações. Mais informações sobre a Foz do Brasil em http://www.fozdobrasil.com.br.

Mario Amaro da Silveira, diretor-presidente

Mário Amaro, 49, é engenheiro civil graduado pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Ingressou na Foz do Brasil em 2008, atuando como Diretor Regional para o Espírito Santo e Minas Gerais. Anteriormente trabalhou no Grupo Águia Branca como Diretor Comercial da VIX Logística S.A e como Diretor Geral da Concessionária de Saneamento de Cachoeiro de Itapemirim, antiga Citágua, que é hoje um ativo da Foz do Brasil. Trabalhou ainda na Construtora Mendes Junior no Brasil e no Iraque.