Campo

Foto: Divulgação

Agricultores familiares, acadêmicos, técnicos agrícolas e interessados têm a oportunidade de conhecer alternativas de criação de abelhas para extração de mel. As diversas experiências de produção estão sendo disseminadas nas explanações e palestras durante o I Congresso de Apicultura e Meliponicultura da Amazônia, que acontece dentro da 7ª edição do Amazontech, no Espaço Cultural em Palmas. O evento acaba neste sábado, 22, com uma programação variada voltada para o setor apícola.

Em sua explanação focada na “Criação de abelhas em Florestas Plantadas e Sistemas Agroflorestais – uma proposta de integração”, o pesquisador da Embrapa, Ricardo Camargo, explicou as vantagens deste sistema. “É mais uma alternativa para os produtores de mel. A intenção é utilizar áreas de forma sustentável”, incentivou.

Camargo frisou que o sistema agroflorestal integrado garante diversas atividades lucrativas a pequeno, médio e longo prazo. “Com isso, o produtor tem outros meios de geração de renda e a criação de abelha para extração do mel (com ferrão ou sem ferrão) é uma atividade de ganho rápido para o pequeno produtor”, enfatizou.

Larga escala

A produção de abelha em larga escala é outro tema de interesse econômico, social e ambiental abordado nas clínicas do Congresso. Segundo o pesquisador da Embrapa, Cristiano Menezes, esta atividade ainda está iniciando no Brasil, mas é promissora. “Neste caso, a intenção é multiplicar a quantidade de abelhas, aumentar a produção de mel e na parte ambiental é de grande relevância, já que as abelhas são as principais polinizadoras de plantas”, enfatizou.

Segundo Menezes, a produção em larga escala, ainda está tímida, mas nos próximos anos a tendência é chegar aos padrões de produção européia. “Eles conseguem multiplicar as colônias rapidamente. Com a aplicação das novas tecnologias, conseguiremos aumentar em até 10 vezes a quantidade de colônias”, explicou.

Manejo adequado

As técnicas de produção adequadas também são importantes para uma boa extração do mel de abelha. De acordo com a monitora Maria Tereza do Rêgo Lopes, as técnicas aplicadas eficientemente favorecem o aumento da produção e qualidade do mel. “Além disso, podemos acompanhar do início ao final da produção do mel, solucionando os problemas para uma criação de abelha com produção rentável de mel”, destacou. (Ascom Seagro)