Campo

O primeiro dia da programação do I Congresso de Apicultura e Meliponicultura da Amazônia foi marcado pela grande participação de apicultores, estudantes e pesquisadores nas diversas clínicas tecnológicas, que aconteceram na sede da Secretária do Meio Ambiente de Palmas, onde também acontece o Amazontech 2011. A última clínica do dia foi coordenada pelo professor José Hugo de Oliveira Filho, da UFT – Universidade Federal do Tocantins, que apresentou resultados de pesquisas com Apicultura no Tocantins.

Em sua explanação, o professor frisou a potencialidade do Estado para a apicultura, em razão de suas características físicas e climáticas. “Diferente de outras localidades, como o Nordeste brasileiro [uma das regiões mais produtoras], no Tocantins a melhor florada acontece na seca, o que possibilita a produção de um mel menos úmido, o que é excelente para a comercialização”, afirmou o pesquisador.

Segundo o professor da UFT, o crescimento da silvicultura no Estado também pode beneficiar a produção do mel, uma vez que árvores como o eucalipto, quando não são utilizados herbicidas para o controle do mato, são grandes fontes de alimentos para abelhas. “No Sul da Bahia já existe essa experiência de integração floresta/apicultura, de forma bem sucedida, e também poderá ser utilizada por produtores do Tocantins”, afirmou José Hugo.

Dentre os participantes da clínica tecnológica estavam dois estudantes da Escola Agrícola de Colinas: Janailton Alvez Teixeira, de 15 anos e Vitor da Silva Azevedo, 16 anos. Na ocasião, ambos interagiram com o palestrante e expuseram algumas de suas dúvidas sobre o manejo com abelhas. “Vejo que essa atividade [apicultura] é bastante lucrativa e pode ser usada por vários proprietários da minha região”, afirmou Janailton, que participou de seis clínicas nesta sexta-feira, 21 de outubro.

O I Congresso de Apicultura e Meliponicultura da Amazônia foi aberto na noite dessa quinta-feira, 20 de outubro, e suas atividades acontecem nos dias 21 e 22, na Sede da Secretária do Meio Ambiente de Palmas. As atividades do congresso são parte do 7º Amazontech, que acontece pela primeira vez na capital tocantinense. (Ascom Seagro)