Estado

Foto: Divulgação José Ronaldo, presidente do sindifiscal afirma que o sindicato está vigilante José Ronaldo, presidente do sindifiscal afirma que o sindicato está vigilante

A Secretaria Estadual da Administração (Secad) adiou para essa terça-feira, 25, a reunião agendada entre entidades classistas e a Secretaria.

De acordo com o Secretário, Lúcio Mascarenhas, a reunião com as entidades de classe está dependendo da agenda do governador Siqueira Campos, haja vista, a contraproposta do governo sobre data base e progressões dos servidores a ser apresentada às entidades, deverá ser discutida, previamente, com o governador.

O encontro entre Lúcio e o governador está previsto para acontecer ainda hoje. De acordo com Mascarenhas, tão logo ocorra a reunião com o governador, receberá os representantes de classe. Essa segunda reunião, também poderá acontecer ainda hoje, terça-feira, afirmou o secretário.

Data base

As entidades de classe apresentaram ao governo, no dia 12, um ofício propondo que a data base seja concedida com índice de 9,29%, levando em consideração o percentual de 7,29% do INPC acumulado nos últimos 12 meses, e 2% de ganho real.

As entidades aceitam que o pagamento do reajuste tenha início na folha de janeiro de 2012. Quanto ao retroativo (referente aos meses de outubro, novembro, dezembro e 13º de 2011), pedem que seja dividido em apenas quatro meses, e não em 24, como propôs o executivo anteriormente.

Progressões

Quanto às progressões, os sindicatos e associações pedem que este tema seja debatido individualmente entre Secad e entidades, em função das especificidades de cada categoria.

De acordo com o presidente do Sindifiscal – Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual, José Ronaldo dos Santos, a entidade está vigilante acompanhando e participando das negociações de forma constante e equilibrada.

"Estamos atentos trabalhando com toda firmeza que o caso requer e, em conjunto com os demais Sindicatos e Associações representantes dos Servidores Públicos do Tocantins, não permitiremos qualquer tipo de protelação. E temos certeza, de que o governo não se furtará de negociar com as Entidades e, certamente, com brevidade apresentará a contraproposta que contemple os dois lados valendo-se sempre do diálogo, que é a melhor forma,” afirmou o presidente. (Ascom Sindifiscal)